Economia

ADRITEM desafia potenciais empreendedores a lançarem-se em novos projectos

Cerimonia - contratos (02)O presidente da Associação de Desenvolvimento Rural Integrado das Terras de Santa Maria (ADRITEM), Emídio Sousa, desafiou os potenciais empreendedores, que pretendam desenvolver novos projectos e criar o seu próprio negócio, a usufruírem do pacote de investimento destinado a impulsionar as zonas rurais, inserido no programa comunitário PRODER.

“Estamos aqui para apoiar e impulsionar todos aqueles que estejam interessados em lançarem novos projectos”, afirmou o responsável, durante a cerimónia de entrega de contratos de financiamento enquadrados no Programa de Desenvolvimento Rural (PRODER), realizada este sábado em Milheirós de Poiares, concelho de Santa Maria da Feira.

O terceiro concurso da iniciativa aprovou pedidos de apoio de cerca de 6,2 milhões de euros de investimento – 3,6 milhões de despesa pública –, prevendo a criação de 41 postos de trabalho.

“Vivemos numa região de gente empreendedora, que não desiste, precisa é apenas de um pequeno impulso. Apesar da conjuntura, nós somos capazes de dar a volta a isto”, salientou, destacando o papel da equipa da ADRITEM, coordenada por Teresa Pouzada.

Nesta fase, cujos contratos a 20 beneficiários foram agora entregues, mereceram aprovação as candidaturas de entidades com enquadramento de microempresa, autarquias, instituições particulares de solidariedade social e associações culturais e recreativas.

“Quando vejo a felicidade dos promotores com os seus projectos realizados, é igualmente para nós uma grande satisfação. A missão da ADRITEM também passa por apoiar os sonhos das pessoas“, disse Teresa Pouzada.

A ADRITEM tem em curso até 28 de Junho o quarto concurso do “subprograma 3” (dinamização das zonas rurais) do PRODER, correspondente a um investimento público na ordem dos 440 mil euros, que poderão merecer um reforço mediante transferência de verbas dos projectos não executados no âmbito deste programa.

O PRODER é  um instrumento estratégico e financeiro de apoio ao desenvolvimento rural do continente, para o período 2007-2013.

O programa – aprovado pela Comissão Europeia – visa “aumentar a competitividade dos sectores agrícola e florestal; promover a sustentabilidade dos espaços rurais e dos recursos naturais; e revitalizar económica e socialmente as zonas rurais”.

 

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *