Sociedade, Vila Real de Santo António

IEFP investe 350 mil euros no novo polo de formação de Vila Real de Santo António

O Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) de Vila Real de Santo António vai ter um polo de formação com seis salas de aula a partir do quarto trimestre de 2013.

 

A assinatura do protocolo para a criação da unidade foi formalizada esta terça-feira, na sede da Frusoal – Frutas Sotavento Algarve, o maior empregador privado do concelho, e contou com a presença do Secretário de Estado do Emprego, Dr. Pedro Roque, e do presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, Luís Gomes.

 

A obra está orçamentada em 350 mil euros, financiados pelo IEFF, e contempla uma oficina, uma sala de trabalho prático, duas salas de formação e duas salas de multimédia e informática.

 

De acordo com o presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, Luís Gomes, a construção deste polo de formação é uma das vertentes do Plano de Emprego de VRSA, uma estratégia pioneira desenvolvida em parceria com associações e entidades públicas e privadas que visa a promoção do emprego e do empreendedorismo.

 

O polo ficará sediado na Urbanização das Amendoeiras, num edifício cedido pela autarquia, e estará vocacionado para a formação nas áreas da eletricidade, eletrónica, manutenção industrial, hotelaria, multimédia, geriatria, entre outras.

 

Contemplará ainda atividades de formação modular e outras que vierem a ser consideradas necessárias pelo IEFP ou pelo tecido empresarial local.

 

O envolvimento da Câmara Municipal na criação do futuro polo de formação é, para o autarca vila-realense, mais um exemplo de responsabilidade social, a que se juntará, em breve, a apresentação de novas ações para potenciar a criação de emprego.

 

De acordo com o Secretário de Estado do Emprego, o município de Vila Real de Santo António tem sido um «excelente exemplo na criação de medidas ativas de emprego e no desenvolvimento de políticas inclusivas», ao abrigo das quais foram recentemente integradas cerca de 20 pessoas com deficiências e incapacidades.

 

A sua inclusão nos serviços autárquicos teve por base a medida contato-inserção, a qual está a ser desenvolvida em parceria com as Instituições Particulares de Solidariedade Social do Concelho (IPSS), nomeadamente a Associação de Beneficência Mão Amiga, a Santa Casa da Misericórdia de VRSA e a delegação de VRSA da Cruz Vermelha Portuguesa.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *