Cultura, Torres Vedras

Café com Filmes prossegue no Teatro-Cine de Torres Vedras

O ciclo Café com Filmes,Intriga Internacional promovido pela Câmara Municipal de Torres Vedras em parceria com o Académico de Torres Vedras, no Teatro-Cine de Torres Vedras, vai prosseguir.

Os próximos filmes a serem exibidos no âmbito deste ciclo são os seguintes:

 

 

 

 

 

4/4 | 21h30 | Há Pânico na Aldeia, de Stéphane Aubier e Vincent Patar (Bélgica, 2009) | Sinopse: A vida dos brinquedos de plástico animados às vezes também não é fácil, como no caso do Cowboy, Índio e Cavalo: os dois primeiros estão a planear surpreender o Cavalo com um presente de aniversário caseiro, mas as coisas correm mal e em vez disso acabam por destruir-lhe a casa. O universo desta longa-metragem de animação gira à volta dos habitantes de uma quinta que se lançam em aventuras surreais, culminando com a viagem que o trio de amigos faz ao centro da Terra. Aí descobrem um universo submarino paralelo, habitado por criaturas (desonestas!) com cabeças pontiagudas, que lembram os filmes de ficção científica dos anos 50. Num cenário bucólico e campestre, os realizadores encenam um mundo de sonho, cómico e eufórico.

 

11/4 | 21h30 | Trilhos Independentes, de Luccas Soares (Brasil, 2012) | Sinopse: Reunindo 7 curtas-metragens do jovem realizador brasileiro, Luccas Soares, que em 2011 viajou por mais de 20 países buscando uma produção cinematográfica original, nasce o projeto “Trilhos Independentes”. Com a câmara na mão este realizador viajou pelo mundo, com a intenção e vontade de revelar como um artista pode produzir com as próprias mãos um produto de qualidade. Para ele a vivência é fundamental no caminho de um contador de histórias. As curtas-metragens a exibir são: PASSAPORTE DOS SONHOS (Estados Unidos da América); TERMINAL 2 (Brasil); ENDS MEAT (Filipinas); DE UM NOVO FERNANDO PARA O BRASIL (Tailândia); BOJOU (Japão); ALEGORIAS DE NÓS (Austrália); e AUSÊNCIA DE NÓS (Brasil). No final terá lugar uma conversa com Luccas Soares sobre a sua obra e a produção de cinema independente. Esta ação tem o apoio da LS Films e da Slingshot.

 

18/4 | 21h30 | Linha Vermelha, de José Filipe Costa (Portugal, 2011) | Sinopse: Linha Vermelha recua a 1975, altura em que o alemão Thomas Harlan realiza o documentário Torre Bela, sobre a ocupação de uma grande herdade no Ribatejo, propriedade dos duques de Lafões. Esse filme transformou-se num ícone do período revolucionário português: a discussão acalorada sobre a quem pertence uma enxada da cooperativa, a ocupação do palácio, o encontro dos ocupantes com os militares em Lisboa e o processo de formação de uma nova comunidade… 37 anos depois, José Filipe Costa revisita esse filme emblemático, reencontrando os seus protagonistas e a sua equipa. Qual foi a influência da presença da câmara sobre os acontecimentos? Quem são hoje os protagonistas da altura? O que pensam sobre a ocupação e sobre o filme Torre Bela? Que memórias têm da herdade? Linha Vermelha responde a estas questões e mostra como Torre Bela continua a marcar a história de um período conturbado do país. Este filme recebeu o Prémio Melhor Filme Português no Festival Indie Lisboa 2011.

 

2/5 | 21h30 | Tabu, de Miguel Gomes (Portugal, 2012) | Sinopse: Uma idosa temperamental, a sua empregada cabo-verdiana e uma vizinha dedicada a causas sociais partilham o andar num prédio em Lisboa. Quando a primeira morre, as outras duas passam a conhecer um episódio do seu passado: uma história de amor e crime passada numa África de filme de aventuras. Este filme obteve o Prémio Alfred Bauer (inovação) e o Prémio da Critica FIPRESCI [Alemanha, 2012].

 

16/5 | 21h30 | Intriga Internacional, de Alfred Hitchcock (Estados Unidos da América, 1959) | Sinopse: Cary Grant desempenha o papel de um executivo publicitário de Manhattan que se vê envolvido no intricado mundo da espionagem e contraespionagem. Entre tentativas de rapto, fugas e luta pela sobrevivência, chega a ser perseguido por um avião no meio de um campo de trigo numa das perseguições mais célebres da história do cinema, terminando, na cena final, junto das esfinges dos presidentes no topo do Monte Rushmore. Este filme foi eleito um dos 100 melhores de todos os tempos pelo American Film Institute.

 

14/6 | 21h30 | Women are Heroes, de JR (França, 2011) | Sinopse: O filme “Women are Heroes” transporta-nos até África, Ásia e América do Sul. O artista francês JR leva o espetador a locais dos quais já se ouviu falar na televisão quando alguma tragédia se abate sobre eles, mas que se encontram afastados dos habituais destinos turísticos. Trabalhando disfarçado, ele transforma as ruas, os edifícios, as favelas, em verdadeiras galerias de arte, obrigando os transeuntes a ver Arte que, de outro modo, não encontrariam. A sua motivação é trazer à superfície questões fundamentais. Ele apresenta mulheres generosas que nada têm, mas que estão disponíveis para partilhar, mulheres com passados dolorosos e que querem construir um futuro radioso. Ao procurar aquilo que é comum aos seus olhares, aproximamo-nos daquilo que é universal: o fator humano. Como artista contemporâneo que cresceu com a Internet e com as imagens digitais, JR experimenta diferentes técnicas cinematográficas e cria a sua própria forma de contar histórias.

 

 

 

 

O ciclo Café com Filmes parte da tradição de Torres Vedras na área do cinema, nomeadamente de um passado cineclubista. É objetivo da iniciativa contribuir para a formação de olhares sobre o mundo e a sociedade, para a descodificação da linguagem, bem como para a formação de novos públicos.

O visionamento dos filmes deste ciclo é gratuito.

Mais informações sobre o ciclo Café com Filmes podem ser obtidas no site da Câmara Municipal de Torres Vedras (em: www.cm-tvedras.pt./teatro-cine).

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *