Cultura, Póvoa de Lanhoso

Concurso de Teatro da Póvoa de Lanhoso terminou em festa

Final Concurso Teatro 2013 2Já são conhecidos os vencedores da edição de 2013 do Concurso Nacional de Teatro da Póvoa de Lanhoso que terminou a 2 de março, no Theatro Club. “Joana, a Donzela”, peça apresentada pelo Grupo Mérito Dramático Avintense, foi a grande vencedora da noite: recebeu o Prémio Ruy de Carvalho para a Melhor Produção e ainda foi considerada a Melhor Encenação (Manuel Ramos Costa), a Melhor Cenografia, o Melhor Guarda Roupa (Lurdes Vieira) e o Melhor Desenho de Luz – Prémio Orlando Worm (André Teixeira).  A Companhia de Teatro Poucaterra viu a atriz Rute Lourenço e o ator Rafael Amaral Vergamota serem distinguidos com os prémios de Melhor Interpretação Feminina e Masculina, respetivamente, pelos seus desempenhos na peça “Sobre a Mesa de Cabeceira”.

 

Theatro Club distinguido.

O Prémio Prestígio (Prémio Inatel 2013) foi atribuído, este ano, ao próprio Theatro Club. “É com enorme satisfação que a autarquia da Póvoa de Lanhoso, através da realização deste concurso, dá o seu contributo para a afirmação do teatro em Portugal e para a promoção da cultura no nosso concelho”, referiu o Presidente da Câmara Municipal, Manuel Baptista. “Pude pessoalmente perceber que o nível da qualidade das peças a concurso excedeu as expectativas, o que é um sinal muito positivo da vitalidade deste concurso. A Póvoa de Lanhoso tem uma tradição muito particular na arte de representar. Ao longo de muitas gerações, a sociedade civil e algumas associações envolveram-se na formação de atores e na construção de peças de teatro de qualidade reconhecida, o que nos permite ter hoje um lugar especial no circuito cultural e, em especial, no teatro”, considerou o autarca, acrescentando que o evento “é um bom exemplo da importância que a Póvoa de Lanhoso atribui ao teatro, contando, como não podia deixar de ser, com o total apoio da autarquia”. Apesar das dificuldades conhecidas “a autarquia entendeu manter este concurso pois reconhece a sua importância no cartaz cultural do nosso concelho. Mas o sucesso alcançado é também fruto das boas parcerias, como a que efetuámos com a Federação Portuguesa de Teatro e com a INATEL”, expressou Manuel Baptista, manifestando reconhecimento pelo trabalho desenvolvido por aquelas entidades. “No encerramento deste concurso no ano de 2009, a propósito da presença do mestre Ruy de Carvalho, eu disse que ele era grande de mais para caber neste pequenino Theatro Club. Disse também que o facto de ter concordado em emprestar o seu reconhecido nome a um prémio deste concurso revelava a sua generosidade, a sua grandeza e a sua enorme humildade. Quero pois, mestre Ruy de Carvalho, renovar os meus sinceros agradecimentos por emprestar um pouco do seu precioso tempo a este concurso e ao trabalho cultural que vamos desenvolvendo nesta terra, pequena em dimensão, mas grande em história e em tradições”, salientou ainda, de entre outras considerações, o Presidente da Câmara Municipal.

 

À margem deste Concurso, Ruy de Carvalho também já tinha elogiado a aposta da autarquia na promoção do evento. “Estas pessoas gostam de vencer a crise e vencem-na fazendo as coisas que têm que fazer e não desistem de as fazer, com alguma dificuldade, é claro que sim, porque não é fácil. Falta muita coisa no plano económico, no plano financeiro, mas há a boa vontade dos homens, que é extraordinária”, salientou aos jornalistas. Patrono do concurso, Ruy de Carvalho esteve na cerimónia de encerramento. “É um Festival muito conhecido, já toda a gente sabe que existe um festival, embora de teatro amador, na Póvoa de Lanhoso, o Theatro é muito bonito. A Póvoa de Lanhoso tem uma população que gosta muito de teatro, que é uma coisa que é muito boa, e tudo isso ajuda a que esta terra tenha muita qualidade”, destacou ainda. A começar a noite, foi descerrada uma placa alusiva ao consagrado ator, no próprio Theatro Club.

 

Na altura dos discursos, intervieram o Vereador da Cultura da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Armando Fernandes, e a Presidente da Federação Portuguesa de Teatro, Sandra Barradas, de entre outras pessoas, como Ruy de Carvalho: “Eu sou um amador profissional, amo aquilo que faço”, referiu, apelando: “Vão ao teatro. Não se esqueçam que o teatro é fundamental para mostrar a capacidade de um povo”.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *