Cultura, Tomar

Mostra Teatral de novo em itinerância pelas aldeias

CARTAZmostra_teatro-01É seguramente uma aposta conseguida. Este ano, o teatro volta a circular pelas aldeias do concelho de Tomar, além de alguns espetáculos na cidade, no âmbito da Mostra Teatral Concelhia.

Sendo de há muito uma das expressões artísticas mais cultivadas por terras tomarenses, os grupos que a ele se dedicam trazem assim a público, no mês em que se celebra a fundação do castelo que deu origem à sede de concelho, aquilo que de melhor andam a fazer.

Desta forma, a Câmara Municipal, em colaboração com os grupos locais, promove mais uma edição da Mostra Teatral Concelhia, com oito peças em apresentação.

A Mostra começa amanhã,no dia 1 de março, feriado municipal, com um dos clássicos preferidos das crianças, “Pinóquio”, a ser apresentado às 16 horas, no Cine-Tetro Paraíso, pelo grupo Espaço Zero.

No sábado, dia 2, é a vez de Grupo de Teatro e Convívio da Associação Recreativa das Aboboreiras levar ao auditório de Cem Soldos a peça “Sik-Sik, o mágico habilidoso”.

No domingo, dia 3, de novo no Cine-Tetro Paraíso, mais um clássico infantil, “O Gato das Botas”, pelo Grupo de Teatro da ACD S. Silvestre.

Dia 9, sábado, pelas 17h17, no Convento de Cristo, o Fatias de Cá apresenta “O Nome da Rosa – uma experiência teatral”, com base no texto de Umberto Eco que o grupo tem em cena há vários anos, mas aberto à participação de dez mulheres que queiram realizar a sua experiência de palco.

No dia seguinte, pelas 15 horas, na Associação de S. Silvestre, o grupo Ciranda em Palco (do CIRE) mostra “Ana no Jardim Encantado”.

Uma semana depois, domingo 17, também às 15 horas, o Espaço Zero leva à Associação das Aboboreiras “O Feiticeiro de Oz”.

Na sexta-feira, dia 22, pelas 21h30, será a vez de a ACR da Linhaceira receber a comédia “Médico à Força”, baseada no texto de Molière e encenada pelo grupo ULTIMAcTO! (de Cem Soldos).

A Mostra Teatral Concelhia termina no dia 23 de março, sábado, com duas peças. Às 17h17, no Convento de Cristo, o Fatias de Cá repete a “experiência teatral” com “O Nome da Rosa”, mas desta vez aberta à participação de dez homens.

Finalmente, às 21h30, na Sociedade Vilanovense, um dos textos clássicos do teatro português, o “Auto da Barca do Inferno”, de Gil Vicente, será levado à cena por O Capítulo – Grupo de Teatro de S. Pedro.

A entrada é livre para todos as peças.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *