Póvoa de Lanhoso, Sociedade

Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso assinala Dia da Proteção Civil

Mascote_TocasA Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso assinala, no próximo dia 1 de março, o Dia Mundial da Proteção Civil. Para além da realização de ações de sensibilização nas escolas está prevista a realização, já no dia 2 de março, pelas 14h00, de um Exercício LIVEX, realizado pela Autoridade Nacional da Proteção Civil, CDOS de Braga, com simulação de incêndio florestal, na freguesia de São João de Rei.

 

Esta ação vai permitir, além do exercício, realizar fogo controlado, ou seja, atuar ao nível da prevenção de incêndios. Prevê-se a participação de mais de 200 operacionais (bombeiros, GNR/GIP’S, Sapadores Florestais) e Proteção Civil Municipal. Irá ainda ser distribuído o fardamento da proteção civil à equipa municipal de proteção civil.

 

No âmbito das ações de sensibilização, serão abrangidas cerca de 400 crianças de jardim-de-infância (JI) e de 1º e 2º ciclos (EB), de acordo com o seguinte calendário: dia 1, Dia da Proteção Civil, às 10h20, na EB 2, 3 de Taíde; dia 4, às 10h00, na EB1/JI de Simães, e às 14h00, na EB1/JI de Garfe; dia 5, às 10h00, na EB1/JI de Arrifana, e às 14h00, na EB1/JI de Oliveira; dia 6, às 10h00, na EB1/JI de Sobradelo da Goma, e às 14h00, na EB1/JI de Travassos; dia 7, às 10h00, na EB1 de Taíde, e às 14h00, no JI de Taíde. Durante estas ações, para além da informação serão distribuídos folhetos.

 

Atendendo ao facto de se comemorar, até ao final do ano, o Ano Europeu dos Cidadãos, a Autoridade Nacional da Proteção Civil definiu para tema do Dia da Proteção Civil de 2013 “O cidadão: primeiro agente de Proteção Civil”.

 

Este tema vem chamar a atenção para o papel fundamental que um cidadão ou uma cidadã bem preparado/a desempenha nas primeiras horas de uma emergência, em que os serviços de proteção e socorro podem demorar algum tempo a prestar a assistência necessária e a acudir a todas as situações. Será ele/a, nestas circunstâncias, que terá o importante papel de proteger (a si e aos seus próximos, no decurso de uma emergência); de socorrer (a quem mais necessite, de acordo com procedimentos antecipadamente apreendidos); de informar (a sua comunidade e as autoridades, mantendo-se ao mesmo tempo informado); e de colaborar (com as autoridades de proteção e socorro).

 

Sendo o/a “primeiro/a agente de Proteção Civil”, o seu papel não se circunscreve, contudo, às situações de emergência. Há todo um trabalho de preparação e de planeamento a desenvolver, junto das pessoas da família, da vizinhança e da comunidade, com o apoio de entidades locais (Juntas de Freguesia, serviços municipais de proteção civil, escolas, bombeiros, ONG’s e outras).

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *