Santa Comba Dão, Sociedade

Monumento ao Bombeiro inaugurado a 17 de Fevereiro em Santa Comba Dão

DSC_0228ssO Monumento ao Bombeiro Voluntário de Santa Comba Dão foi inaugurado no passado Domingo, dia 17 de Fevereiro, apesar das condições meteorológicas adversas que se fizeram sentir ao longo do dia.

 

As comemorações oficiais tiveram lugar na garagem do Quartel dos Bombeiros Voluntários de Santa Comba Dão, local onde foram recebidas as diversas entidades civís e militares que estiveram presentes.

 

A Inauguração do Monumento decorreu por volta das 15 horas, com as presenças de Rui Branquinho, Presidente da Comissão do Monumento ao Bombeiro, Henrique Oliveira, 2º Comandante da Autoridade Nacional de Protecção Civil, Joaquim Rebelo Marinho, Presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Viseu, Gil Barreiros, Vice-Presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses e João Lourenço, Presidente da Câmara Municipal de Santa Comba Dão, tendo sido descerrada uma lápide com a inscrição:

 

“AO BOMBEIRO – Vida Por Vida

Valeu a pena? Tudo vale a pena

Se a alma não é  pequena. Fernando Pessoa”

 

Do programa da inauguração constava, ainda, uma Arruada da Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Santa Comba Dão que acabou por se realizar, aquando do descerramente da lápide comemorativa, apenas na zona envolvente ao Quartel dos Bombeiros Voluntários e junto à rotunda onde o Monumento se encontra situado, devido ao mau tempo.

 

Após a cerimónia protocolar, convidados e populares regressaram ao interior da garagem dos Bombeiros Voluntários para uma demonstração musical da Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Santa Comba Dão, momento ao qual se seguiram os habituais discursos proferidos por: Sr. Lima, representante da Comissão do Monumento ao Bombeiro, Joaquim Rebelo Marinho, Presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Viseu, Gil Barreiros, Vice-Presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses e João Lourenço, Presidente da Câmara Municipal de Santa Comba Dão.

 

Na primeira intervenção da tarde foi relembrada a homenagem ao bombeiro com a representação em sua honra de um monumento, fazendo uma analogia aos monumentos erguidos desde ao longo dos tempos e do desejo dos seus autores em perpetuarem a memória e os feitos dos seus antepassados.

 

No que se refere ao Monumento ao Bombeiro, o representante da Comissão do Monumento ao Bombeiro relembrou o desejo de António Morais e Carlos Ribeiro em verem nascer um Monumento que prestasse a devida homenagem aos Bombeiros Santacombadenses e a criação de uma Comissão para Angariação de Fundos, ressalvando o contributo de particulares, anónimos e Autarquia.

 

No final do seu discurso agradeceu o contributo de todos aqueles que contribuíram para a execução da obra e a dedicação, esforço e coragem dos elementos do Corpo Activo dos Bombeiros Voluntários na execução da sua missão de protecção e socorro à população desde a sua fundação em 1915.

 

Joaquim Rebelo Marinho, Presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Viseu, começou o seu discurso afirmando que quando um Monumento destes é erigido, significa uma grande homenagem ao passado de 97 anos da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Santa Comba Dão e uma certeza e uma convicção no futuro da instituição.

 

Referiu, igualmente, que ninguém duvida que a sociedade estima e reconhece o papel dos Bombeiros, afirmando que vão faltando episódios e testemunhos que materializem esse reconhecimento.

 

Nesta sua intervenção, agradeceu, ainda, aos autores e à sociedade civil esta iniciativa e o apoio prestado pela Autarquia na realização desta obra, ressalvando que neste Monumento está, também, espelhada a homenagem às famílias dos Bombeiros de Santa Comba Dão.

 

Gil Barreiros, Vice-Presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses deixou expressa a alegria com que a Liga se deslocou a um Quartel de Bombeiros para assistir a um momento tão simbólico e carregado de importância de ver reconhecida a homenagem de um povo e dos autarcas de um concelho.

 

Referiu que os Bombeiros têm de, cada vez mais, estar melhor preparados e mais actualizados para poderem servir e prestar um melhor serviço às populações que deles necessitam.

 

Terminando a sua intervenção, afirmou que esta homenagem de Santa Comba Dão constitui um exemplo para o país e um momento em que os Bombeiros se devem sentir orgulhosos do serviço que desempenham no dia-a-dia.

 

O período de discursos foi encerrado por João Lourenço, Presidente da Câmara Municipal de Santa Comba Dão que iniciou a sua intervenção agradecendo a todos aqueles que contribuíram para que este projecto de homenagem aos Bombeiros Voluntários de Santa Comba Dão lembrando a memória de António Manjerico, um dos impulsionadores da iniciativa.

 

Assinalou também, o reconhecimento que os Bombeiros têm relativamente a este Monumento referindo que ainda que este seja um monumento dedicado aos Bombeiros de Santa Comba Dão, não invalida que seja, igualmente, uma homenagem aos Bombeiros Portugueses.

 

Referiu, ainda, que o Monumento simboliza o papel dos Bombeiros, ressalvando as múltiplas áreas de intervenção e a actuação proactiva dos diversos meios de socorro existentes no concelho, no sentido de merecem as homenagens que lhes são feitas, quer pelos Santacombadenses quer externamente.

Nesta sua intervenção deu a conhecer que estão a ocorrer negociações com o Governo no sentido de dotar os Bombeiros de outros meios, nomeadamente financeiros, que lhes permitam desempenhar as suas funções com mais tranquilidade.

 

João Lourenço finalizou o seu discurso dizendo que este Monumento, propositadamente, situado ao lado do Quartel dos Bombeiros representa o passado, o presente mas, acima de tudo o futuro e a vontade de todos em manter a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários com a notoriedade que ela tem a nível nacional.

 

As celebrações encerraram com uma missa campal, celebrada pelo Sr. Padre Casal que contou com a colaboração do grupo Be Flat.

 

O Monumento, uma iniciativa da Comissão do Monumento ao Bombeiro realizada sob o lema Vida Por Vida, tem como objectivo homenagear os Soldados da Paz relembrando a coragem destes homens e mulheres na consequência do trabalho por eles desempenhado em prol do bem-estar, socorro e protecção da comunidade santacombadense e contou com a colaboração da Câmara Municipal de Santa Comba Dão e da Junta de Freguesia local.

 

Esta obra pretende simbolizar, através dos seus diversos elementos arquitectónicos, a solidez do “ser” Bombeiro e os seus recursos materiais e físicos representados pelo bloco central em granito, revestido em alvenaria de pedra de granito amarelo da região.

 

A ponte representa uma passagem às adversidades a que se sujeitam todos os Soldados da Paz enquanto que o círculo onde fica a água depositada pela fonte pretende representar o depósito do elemento água, o recurso mais importante no combate ao incêndio e à preservação da vida.

 

Neste Monumento pode visualizar-se, também, um painel alusivo ao tema fogo revestido, igualmente, em alvenaria de pedra de granito amarelo da região que representa a tormenta que os Soldados da Paz enfrentam a cada solicitação e a força de vencer, um arco inclinado, executado em perfil de madeira lamelada colada que pretende representar a união que constitui cada corpo de intervenção constituído pelos Bombeiros e um manto verde de relva que pretende simbolizar a esperança que reside em cada acção que os Bombeiros Voluntários de Santa Comba Dão executam, pela coragem e respetito das causas que defendem.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *