Sociedade, Vale de Cambra

Câmara Municipal de Vale de Cambra promove melhores condições para o GIPS

protocolo_gips1A Câmara Municipal de Vale de Cambra e a Guarda Nacional Republicana (GNR) formalizaram, no passado dia 15 de fevereiro, um acordo tendo em vista a cedência da Helipista de Algeriz e de um edifício para apoio logístico/administrativo à Helipista.

O protocolo, celebrado entre o Comandante da Unidade de Intervenção e o Presidente da Câmara Municipal de Vale de Cambra, visa, assim, proporcionar novas condições funcionais para a plena execução da missão das equipas de intervenção proteção e socorro do Centro de Meios Aéreos (CMA) de Vale de Cambra/GIPS/UI/GNR, através da promoção de melhores condições de trabalho para as forças de segurança, nomeadamente, através da cedência do espaço, com o objetivo de instalar as equipas do GIPS e ter um local ajustado à sua atividade, dotado de condições de funcionalidade e operacionalidade.

Os edifícios são assim cedidos em regime de comodato, pelo prazo de 5 anos, automaticamente prorrogado por igual período. No que respeita ao edifício do Centro Cultural, apenas é cedido à GNR a parte do mesmo que integra as respetivas camaratas, incluindo o direito de acesso.

Quaisquer obras de conservação ou beneficiação serão sempre executadas por conta do Município, sendo que a GNR é responsável pelo pagamento de todas as despesas correntes, como água, eletricidade, gás e comunicações, decorrentes da utilização do imóvel e instalações mencionadas.

Na assinatura do protocolo, José Bastos, Presidente da Câmara Municipal de Vale de Cambra, teve a oportunidade de aprofundar alguns pormenores desta parceria agora formalizada, disponibilizando os serviços do Município naquilo que estiver ao seu alcance e reiterou a importância da existência, no nosso concelho “de forças de segurança com as melhores  condições de trabalho e intervenção que lhes possamos dar, pelo que é sempre de destacar esta franca cooperação e ligação entre o Município e a nossa GNR, neste caso com os GIPS”.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

1 comentário

  1. Acho que deviam era meter gente responsável e que fosse em condições de fazer aquilo que realmente devem fazer nos GIPS, em vez de gente que abusa do seu poder e que gosta de armar confusão quando não estão sem serviço só porque se sentem superiores aos outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *