Baião, Economia

Câmara cede terreno para futura sede da Associação Empresarial de Baião

O presidente da Câmara Municipal de Baião e o presidente da Associação Empresarial de Baião assinaram, no dia 7 de Fevereiro, um protocolo tendo em vista a cedência de um terreno com 891,44 m2 na Feira do Tijelinho, destinado à construção da futura sede da associação que representa os empresários e comerciantes de Baião.

O presidente da AEB, Paulo Portela, agradeceu a colaboração da autarquia na criação de condições para que a possa aprofundar o seu trabalho e desse modo apoiar os empresários concelhios e valorizar a imagem do concelho. O responsável destacou ainda a presença de todos os associados daquela entidade e referiu que a assinatura do protocolo é apenas o primeiro passo a dar na concretização da nova sede da AEB.

José Luís Carneiro, por sua vez, apelou aos empresários presentes para que colaborem com a implementação do programa de estágios para jovens licenciados do concelho de Baião. A autarquia e a AEB vão impulsionar a implementação deste programa que pretende proporcionar experiência profissional nas empresas locais a jovens licenciados em diversas áreas, sendo que a autarquia irá suportar o valor dos subsídios de transporte, refeição e seguro. José Luís Carneiro disse ainda que a Câmara de Baião está disponível para apoiar no investimento da construção da nova sede da associação empresarial. O autarca disse que após a construção da sede da AEB e da instalação de um posto de abastecimento de combustíveis na zona do Tijelinho, terá lugar a requalificação daquele local. “Pretende-se ter a vila de Baião como uma sala de visitas para todos os que chegam ao concelho ou seja, ter um espaço qualificado e digno”.

“A AEB poderá contar com a autarquia para projetos futuros, pois tem havido um diálogo franco e aberto entre as duas entidades. A CMB terá sempre uma atitude de humildade para ouvir e respeitar a opinião dos outros, mas também com um sentido de responsabilidade em relação ao interesse geral”, observou o autarca. José Luís Carneiro referiu ainda que durante 7 anos a câmara municipal canalizou cerca de 12 milhões de euros para a economia local, fosse através de empreitadas ou de prestação de serviços e de fornecimentos por parte das empresas locais.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *