Economia, Estarreja, Sociedade

Empreendedorismo Jovem: Mostrar caminhos mais práticos em Estarreja

DSC_0852ssSem conformismos. Os casos de sucesso apresentados no 2º Seminário “Empreendedorismo Jovem” revestem-se de boas ideias, trabalho em equipa, mas acima de tudo de uma grande determinação. Estes exemplos foram dados a conhecer a cerca de 400 jovens, essencialmente estudantes da Escola Secundária de Estarreja, estando também presentes alunos da Escola Profissional de Aveiro.

 

O 2º Seminário “Empreendedorismo Jovem”, que decorreu no Cine-Teatro Municipal, é uma organização da Câmara Municipal de Estarreja que pretende promover e estimular o espírito empreendedor junto dos jovens e fomentar atitudes e comportamentos propícios ao desenvolvimento de uma cultura inovadora, criativa, tecnológica e empreendedora.

 

As “oportunidades tradicionais ou tardam ou nem sequer chegam, por isso temos que procurar novas oportunidades”, disse o presidente do Município, José Eduardo de Matos, na sessão de abertura, sublinhando este necessário “complemento à educação” que pode “mostrar caminhos mais práticos” aos jovens. Como parte integrante da comunidade escolar, a autarquia “tem que fazer parte deste movimento. Este é um assunto da comunidade, das empresas, das organizações, diz respeito a todos”, responsabilizou o autarca.

 

O programa Impulso Jovem tem o objetivo de “ajudar a combater o desemprego jovem que é preocupante”, dadas as elevadas taxas que rondam os 40%. O diretor executivo do programa, Vítor Moura Pinheiro, deu a conhecer as medidas baseadas em 3 eixos de atuação: estágios profissionais, apoios à contratação ao empreendedorismo e ao investimento.

 

Na opinião do responsável “o tema do empreendedorismo tem que estar em cima da mesa, é uma prioridade para criar empresas”. Face a “alguns fenómenos relacionados com a burocracia que assustam um pouco as pessoas”, Vítor Pinheiro refere que é necessário desmistificar, havendo já um conjunto de medidas de simplificação. “O objetivo é ajudar os jovens e dizer-lhes que hoje em dia não é assim tão complicado quanto isso criar uma empresa”, tentando ao mesmo tempo afastar “a mentalidade negativista” existente no nosso país que censura os que falham, quando devíamos “felicitar quem tentou”, pois só assim alcançará o sucesso.

 

 

“Seremos exemplo quando atingirmos proporções gigantescas”

 

Entre os casos empresariais apresentados, está a história de 4 jovens, dos quais 3 são de Estarreja, que desenvolveram uma aplicação para o Facebook, de comercialização de artigos em segunda mão, hoje com mais de 15 mil utilizadores registados. A ideia era “criar algo novo e com potencial de crescimento, que fosse fácil ir para outros mercados e pudesse ter muitos utilizadores”.

 

A Bewarket quer agora propagar a todo o mundo esta forma de negócio entre amigos e conhecidos no universo das redes sociais. Os estarrejenses Marco Barbosa e Diogo Azevedo, sócios da empresa, falaram da sua experiência que os levou recentemente a Silicon Valley, nos EUA. “Seremos exemplo quando atingirmos proporções gigantescas”, afirmava Marco Barbosa quando questionado se poderiam servir de inspiração para os 400 jovens que os ouviram atentamente durante o seminário. Comprovaram acima de tudo que “o pessoal de Estarreja consegue gritar e ouvir-se cá fora”. E Diogo Azevedo fez questão de afirmar que “todos temos valor e temos que por isso em prática”, o que leva também a lembrar que o “empreendedorismo tem muito para crescer, é preciso ter criativos e pessoas que queiram arriscar”.

 

Em caminhadas como esta existem muitos obstáculos pela frente, ultrapassados pelo trabalho em equipa. Marco referiu-se à máxima do empreendedorismo “the three F’s: Friends, Families, Fools” e na sua opinião é fundamental “acreditar nas pessoas” e na sua capacidade de reinvenção e criação “se a ideia for ao charco”. A revista Exame Informática fez recentemente um trabalho sobre esta empresa que tem sede em Braga, mas está em negociações com um investidor para abrir uma empresa nos EUA, tendo em vista o mercado dos EUA e Brasil. O futuro a longo prazo pode passar pela cotação em Bolsa ou a venda da empresa. “Os dois cenários seriam muito bons”, dizem os jovens empreendedores.

 

A escritora e microempresária, Jaqueline Silva, escreveu o livro “Estou Desempregada, e Agora?” e criou a empresa “Entre Nós, Petiscar e Conversar”. Já Amaral Carvalho, administrador da Edubox, S.A., explicou o percurso desta spin-off da Universidade de Aveiro, uma empresa incubada na Incubadora de Empresas da Região de Aveiro que recebeu em dezembro de 2012 o prémio de “Melhor Empresa Start-Up” na II Gala Anual do Empreendedorismo promovida pela TecParques – Associação Portuguesa de Parques de Ciência e Tecnologia.

 

 

Lançado o Concurso de Ideias de Negócio Jovem Empreendedor

 

Durante o seminário foi lançado o Concurso de Ideias Jovem Empreendedor deste ano dirigido a todos os alunos do 3º ciclo ao ensino secundário, residentes no concelho de Estarreja (www.estarrejacentro.com). Foi ainda entregue o prémio relativo do Concurso de Ideias de Negócio de Estarreja 2012, que terá nova edição em 2013, a anunciar brevemente.

 

Jacint Domènech, diretor geral da Dow Portugal, que patrocina o concurso, lembrou que “o empreendedorismo é uma das coisas mais importantes: ter ideias, ideias brilhantes, ideias de futuro. Para a nossa empresa é vital ter isto de maneira efetiva”, por isso a multinacional vai continuar a apoiar estas iniciativas, que na opinião do diretor contribui para “ter jovens motivados”.

 

Pedro Seixas, de Ovar, desempregado e licenciado em Planeamento Regional e Urbano, recebeu das mãos de Jacint Domènech um cheque no valor de 2.500€, destinados à implementação da ideia vencedora. Conforme explicou Pedro Seixas, o projeto está “ligado à região e na área ambiental” e passa pela “criação de um guia de campo digital que vai juntar a informação dos vários guias, numa mesma aplicação”. A ideia foi desenvolvida por uma equipa de 3 elementos, incluindo uma bióloga e um programador informático.

 

Coube a João Alegria, vereador da Câmara Municipal, e a Jorge Ventura, diretor da Escola Secundária de Estarreja, o encerramento dos trabalhos após uma manhã enriquecedora, naquela que foi uma aula diferente para os 400 estudantes que marcaram presença no Cine-Teatro Municipal.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *