Sociedade, Trofa

Sistema integrado de mobilidade com Interface Rodoferroviário da Trofa entrou em funcionamento esta sexta-feira (1 de fevereiro)

A partir desta sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013, todos os transportes públicos que operam no Concelho da Trofa integram nos seus percursos o Interface Rodoferroviário da Trofa (junto à Estação Nova da CP).

 

Esta medida entra em vigor depois de uma serie de procedimentos desenvolvidos pela Câmara Municipal da Trofa, desde agosto de 2010, altura em que entrou em funcionamento a Nova Estação da CP, com o objetivo de potenciar a utilização dos transportes públicos na Trofa.

 

Assumindo assim, uma dimensão importante no aumento da qualidade de vida dos cidadãos, na defesa da sustentabilidade ambiental e no incremento da qualidade do ambiente urbano, a Câmara Municipal da Trofa diligenciou junto de todas os operadores de transportes que servem o Concelho, a criação de um sistema de interface articulado, que começou a funcionar nesta sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013, reunindo o Comboio (CP), os Transportes Alternativos da Metro do Porto (arranque a 2 de fevereiro), e os operadores Arriva, Transdev, TranscoVizela, Maia Transportes e Auto Viação Pacense.

 

Esta iniciativa vai permitir uma melhoria substancial na gestão do sistema de mobilidade e transportes e das condições de acessibilidade da população da Trofa e dos Concelhos vizinhos.

 

A principal inovação deste projeto reside desta forma, na adoção de uma solução de mobilidade integrada e global, atendendo a que, todas as operadoras de transportes, bem como os transportes alternativos do Metro passarão a integrar nos seus percursos o Interface da Estação Ferroviária da Trofa, que passará a assumir-se como um Interface Rodoferroviário.

 

Esta iniciativa surge agora como optimizadora de todos os componentes num único sistema central, que potencia uma visão integrada do sistema e a manutenção a longo prazo de uma plataforma de encaminhamento pendular de Trofenses e visitantes, e surge na sequência dos esforços realizados pela Câmara Municipal da Trofa com a finalidade de potenciar o Interface da Trofa e prolongar o percurso do serviço dos Transportes Alternativos da Metro do Porto até à Estação Ferroviária.

 

Face a este cenário e para complementar esta nova valência, a Autarquia Trofense, liderada por Joana Lima, reuniu ainda com todos as empresas de transportes que operam no Concelho, no sentido de alterarem os seus percursos, ajustando-os ao novo Interface.

 

As operadoras mostraram-se todas disponíveis para este ajuste, por isso, os novos percursos e as novas paragens.

 

As alterações a introduzir estão devidamente anunciadas e publicitadas nos locais em causa e consistiram em mover a paragem frente à Igreja Nova da Trofa, para o início da Rua que liga a rotunda do CENFIM ao Interface, e relativamente à paragem do Parque Dr. Lima Carneiro, esta foi desativada, uma vez que a alteração programada dos percursos permitiu que os utilizadores desta paragem, passem a utilizar as paragens existentes na EN104 junto ao Banco Espírito Santo e Caixa Geral de Depósitos.

 

A dinamização deste Interface envolveu ainda a Autoridade Metropolitana de Transportes do Porto (AMTP), responsável pela gestão e promoção do Interface, que concordou com as novas medidas de dinamização do Interface, tendo a AMTP ficado responsável por encetar esforços para “alargar” o Andante à Trofa.

 

Depois desta entrada em funcionamento, o próximo ano será de avaliação e de ajustamento de horários, entre os diferentes operadores, para existir além da intermodalidade espacial, a intermodalidade de horários.

 

Em simultâneo, e a Câmara Municipal da Trofa já está a desenvolver negociações nesse sentido, o objetivo será estabelecer um sistema de transportes intra-Concelhio, aproveitando a abertura do Novo Interface, onde se potenciará a articulação entre os diferentes modos de transporte, perspetivando-se a curto prazo a necessidade de criar mais linhas que permitam aos munícipes uma maior mobilidade no território, centrada na acessibilidade ao Interface.

 

A ideia inicial assenta num percurso em “anel”, com início e términus no Novo Interface, passando pelos principais equipamentos estruturantes (Hospital, Aquaplace/piscinas municipais, Escola Secundária da Trofa, EB 2 e 3 de Napoleão Sousa Marques e outros equipamentos escolares), pela zona central da cidade onde se concentram os principais serviços e o comércio local, bem como servir a zona dos Hipermercados e a Câmara Municipal.

 

É ainda proposto que, aos sábados, o percurso, em alguns horários, faça um trajeto variante que sirva a zona da feira/mercado, por forma a poder transportar os utentes da feira que se realiza nesse dia.

 

Outro ponto importante para o futuro será a criação de uma plataforma comum e integrada de informações, a que os utentes possam aceder, condensando a informação relativa a todos os operadores que servem os utentes no Interface.

 

Com a concretização de mais esta reivindicação, a Câmara Municipal da Trofa avança assim, com mais uma ação que aposta na implementação de alternativas de mobilidade sustentável e ativa, e que tem como elemento central o planeamento, a integração e a otimização dos meios já disponíveis, criando um sistema de gestão integrada de acessibilidade.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *