Póvoa de Lanhoso, Sociedade

Parceiros do Especial.Mente programam mais um ano de atividades na Póvoa de Lanhoso

Reuniao Especial Mente 1O Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Manuel Baptista, presidiu a uma reunião de trabalho envolvendo as entidades parceiras do projeto Especial.Mente em execução há um ano.

 

Este encontro ficou marcado pela assinatura do protocolo, que assinala a integração da ASSIS na rede de parceiros do projeto.

 

De entre outros aspetos, esta sessão serviu ainda para planear os próximos meses, através da recolha de contributos dos representantes dos parceiros da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso no âmbito desta resposta social, direcionada para um público muito específico, sinalizado e encaminhado pelo serviço de atendimento e acompanhamento social da autarquia. A possibilidade de serem realizadas visitas a diferentes locais e espaços, dentro e fora do concelho, de alargar o leque de atividades propostas aos utentes, de ser realizada formação específica de acordo com os interesses manifestados são algumas das medidas propostas para este novo ano, para além da continuidade de novas já em implementação.

 

Durante esta reunião, a coordenadora do projeto, Eliana Oliveira, ainda apresentou o resultado da aplicação de inquéritos não só aos utentes como aos representantes das entidades parceiras para avaliação do primeiro ano de implementação do Especial.Mente. Realizou também um balanço, indicando o número de participantes (cerca de 12), o número de sessões, as atividades realizadas e recordou os objetivos do projeto, que tem como filosofia “Estar e manter-se socialmente integrado e emocionalmente compensado”.

 

Esta reunião de trabalho permitiu ainda que os representantes das entidades parceiras expressassem a sua opinião e expectativas em relação ao projeto assim como transmitissem propostas para a sua melhoria constante. O Especial.Mente teve o seu arranque formal no dia 25 de janeiro de 2012. Utentes são pessoas com patologias do foro psíquico (com problemáticas diagnosticadas como o luto, a depressão e o isolamento social), que têm dificuldades de (re) integração, o que retarda o processo de inserção social inerente às medidas de RSI e Ação Social.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *