Cultura, Póvoa de Varzim

Correntes d’Escritas: há 14 anos a promover o livro e a leitura na Póvoa de Varzim

image003O 14º Correntes d’Escritas foi apresentado, por Luís Diamantino, Vereador do Pelouro da Cultura.

O evento irá realizar-se de 21 a 23 de fevereiro, e o arranque será, à semelhança das edições anteriores, no Casino da Póvoa, no dia 21, às 11h00. A Sessão de Abertura contempla o anúncio dos vencedores dos quatro Prémios Literários e ainda a apresentação do número 12 da Revista Correntes d’Escritas.

Sobre a Revista, o Vereador da Cultura afirmou que “temos sempre a preocupação de homenagear personalidades, como foi o caso de Eduardo Lourenço, Agustina Bessa-Luís, entre muitos outros, sendo que este ano é Urbano Tavares Rodrigues que não vai poder estar connosco por motivos de saúde. Mas o importante é demonstrar-lhe a nossa homenagem e reconhecimento que temos pelo escritor, combatente e homem da cultura”.

Do Casino da Póvoa, o Encontro ruma para o Auditório Municipal, onde, às 15h00, João Lobo Antunes irá proferir a Conferência de Abertura.

Em relação ao conferencista, Luís Diamantino assumiu ter “muito orgulho em trazê-lo cá. Com certeza vai-nos deleitar com as suas histórias. Vai falar um pouco da sua experiência, da medicina e da literatura”.

Mesas de debate, lançamentos de livros, cinema, teatro, entre muitos outros momentos a não perder, até ao dia 23, com a participação de cerca de 60 escritores de expressão ibérica, sendo que doze participam no evento pela primeira vez. Entre os participantes, o Vereador da Cultura destacou nomes como António Mega Ferreira, pela 1ª vez no evento), talvez Eduardo Lourenço e o Maestro Victorino D’Almeida.

Uma das novidades desta edição são as intervenções poéticas. “Vamos ter a poesia nas ruas da Póvoa. Uma forma de aproximar ainda mais o Correntes d’Escritas à população. Estamos num restaurante, café, ou no Mercado Municipal a fazer compras e aparece um grupo a dizer poesia”, revelou Luís Diamantino, esclarecendo que os poemas serão ditos de acordo com o contexto. Haverá ainda sessões de poesia no Hotel Axis Vermar e na Casa da Juventude, onde, como habitualmente, terá lugar a Feira do Livro.

Outro aspeto da programação muito importante é a ida dos escritores a todas as escolas EB 2/3 e Secundárias do concelho. O Vereador informou que “este ano, vamos ter muitas escolas de outros concelhos, nomeadamente Apúlia, Porto, Santa Maria da Feira, Vila do Conde, a virem à Póvoa de Varzim para, no âmbito do Correntes, estarem com os autores”. A este propósito, acrescentou, “os jovens da Póvoa não sabem a sorte que têm”.

O Encontro contará com duas exposições, uma de pintura de Emerenciano intitulada Aqui e Agora sem Palavras, realizada em parceria com a Fundação de Serralves, e que estará patente no Museu Municipal, outra de fotografias de Carlos Romero, na Biblioteca Municipal. Sobre esta última, Luís Diamantino referiu que, “sobretudo pela curiosidade, vale a pena visitá-la. Serão apresentadas fotografias dos anos 80, ou seja, da Póvoa do século passado em contraste com a atual. Carlos Romero teve preocupação em fotografar os mesmos locais do mesmo ângulo, num total de doze pares de fotografias”.

Na generalidade, o Vereador espera que o Correntes d’Escritas seja “três dias intensos, com muita gente, tal como no ano passado. Esperamos, acima de tudo, cumprir um dos grandes objetivos do evento: promover o livro e a leitura”.

O envolvimento de um grupo de patrocinadores e parceiros é absolutamente essencial para que o maior evento literário do país continue a acontecer. Luís Diamantino informou que o Correntes d’Escritas terá um custo de cerca de 40 mil euros, dos quais somente oito mil serão do orçamento da Câmara Municipal, sendo que o Instituto do Turismo de Portugal apoia em 80% os custos do evento. Para além disso, destacou o Casino da Póvoa, como patrocinador principal, a Norprint, que este ano assume, na íntegra, a publicação da Revista, a BMCar, a Embaixada do Brasil, a Embaixada de Angola e o Instituto Cervantes.

Susana Saraiva, do Casino da Póvoa, patrocinador principal do evento, referiu que para o Casino “é uma honra estar associado ao Correntes d’Escritas porque é efetivamente um projeto de grande envergadura a nível cultural”. De resto, o apoio do Casino ao evento vem seguindo uma linha de apoio à Cultura desenvolvido por esta entidade.

Lopes de Castro, da Norprint, afirmou que está com o Correntes d’Escritas desde o início, sendo que, este ano, a empresa celebra o seu 20º aniversário e irá patrocinar a Revista Correntes d’Escritas na íntegra.

Acompanhe a 14ª edição do Correntes d’Escritas – Encontro de Escritores de Expressão Ibérica no portal municipal, onde poderá também consultar o programa completo do evento.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *