Cultura, Estarreja

Casa-Museu Egas Moniz: Olhar o futuro numa obra notável – Estarreja

Reabriu renovada e melhorada a Casa-Museu Egas Moniz, após o terrível ataque do Serpula Lacrymans, o fungo que se infiltrou no piso de madeira do rés-do-chão e que obrigou a uma intervenção urgente para evitar que se propagasse ao resto da casa e ao recheio. No último sábado à tarde, a Câmara Municipal assinalou a reabertura do espaço, um dos principais momentos das comemorações do 8º aniversário da Cidade de Estarreja.

 

A “reabertura significa novas responsabilidades” e outras funcionalidades estão a ser encaradas, adiantou o presidente do Município, José Eduardo de Matos. Enquanto decorriam as obras de recuperação e se resolviam os problemas “não deixamos de olhar para o futuro e encontrar novas funções, novas valências, novas capacidades. Dentro do espirito desta casa, sermos capazes de inovar e empreender e encontrar novos momentos de atração”.

 

A faceta de empreendedor foi realçada pelo presidente da CCDRC – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, Pedro Saraiva. Sendo Egas Moniz uma “figura que admira e um dos grandes heróis da nação nem sempre totalmente reconhecido”, é de destacar que o Prémio Nobel “também se preocupava em desenvolver riqueza económica a partir da sua terra, foi quem conseguiu trazer a Nestlé para Portugal”. Acrescentou que Estarreja sabe fazer da melhor forma o que muitas das vezes Portugal não sabe: homenagear os seus melhores.

 

Esse foi igualmente o sentido do representante do Ministro da Saúde e presidente do Centro Hospitalar do Baixo Vouga, José Afonso, enaltecendo a sua relevância na medicina portuguesa e da Casa Museu como património de enorme valor.

 

Novo corpo alarga funções  e repõe estética

 

Com sentido de inovação, a autarquia aproveitou para apresentar o Estudo Prévio de Reabilitação da Casa-Museu, combinando o passado com a contemporaneidade. Os arquitetos Ricardo e Nuno Matos apresentaram as ideias principais desse projeto global, nomeadamente a criação de um novo corpo paralelo à Casa Museu, substituindo a parte nova do edifício construído nos anos 60, de forma a valorizar a estética do projeto arquitetónico de Ernesto Korrodi, de 1915. Esse espaço terá novas valências multifuncionais e pontos de atração.

 

Para uma casa-museu que tem inevitavelmente um carácter nacional e uma dimensão internacional, é de admirar que não surjam respostas da administração central. “Desde que estou na Câmara, tudo o que tem sido feito, tem sido à custa de todos nós, o Município tem suportado tudo isso. Tem sido um esforço mas temos que o fazer”, reiterou José Eduardo de Matos.

 

Para o vereador da Cultura da Câmara Municipal, João Alegria, “o dia ficará na história e representa finalmente o retomar de uma dinâmica que foi forçosamente interrompida”, sentindo “satisfação e alivio por terminar este tempo difícil de muito sofrimento e de enorme esforço financeiro que a autarquia tem feito para preservar e conservar esta património riquíssimo e único no nosso país”.

 

Financiada pela Câmara Municipal de Estarreja com um orçamento de 154.972,15€, a complexa e delicada intervenção, que obrigou à retirada de todo o espólio, restando apenas o esqueleto do imóvel, conseguiu aniquilar a ameaça biológica que se abateu sobre tão valioso património, ao mesmo tempo confrontado com novos desafios expositivos – e circuitos, da receção à recuperada cozinha – explicados durante a visita guiada pela diretora da Casa-Museu, Rosa Maria Rodrigues, que antecedeu a sessão oficial.

 

Câmara merece o agradecimento dos portugueses

 

Durante a sessão oficial, e convidado a prestar o seu depoimento, o sobrinho-neto António Macieira Coelho referiu que “esta Câmara merece todos os elogios e agradecimentos dos portugueses, não apenas da família de Egas Moniz. Porque o que aqui se está a fazer é uma obra notável nacional recordando para os tempos vindouros o que foi esta figura genial do cientista Egas Moniz, que foi um homem completíssimo com imensas atividades. Esta Câmara tem o entendimento disto tudo e tem sabido fazer uma obra notável”.

 

O resultado foi bastante apreciado pelos familiares de Egas Moniz que vieram propositadamente de Lisboa para assistir à sessão. “Com enorme saber, dedicação e conhecimento artístico, este património foi recomposto de uma forma notável”, afirmou António Macieira Coelho, sobrinho-neto da ilustre figura, que elogiou “o gosto artístico em que tudo foi conservado, mas renovado e até melhorado, dando-lhe uma atualização museológica impressionante”.

 

O seu irmão Eduardo Macieira Coelho vivia o momento com “uma emoção muito forte porque isto poderia ter desaparecido, poderia ter sido uma hecatombe. Portanto vivíamos todos num grande susto e é uma alegria imensa. Agora é preciso que venha muita gente. Quero ser eu a mostrar a casa às minhas netas e estou há dois anos há espera que isto se recomponha”.

 

Na homenagem em que se falou do médico cientista, investigador, político, escritor, também se lembrou com emoção e ternura o homem de família, e à memória dos sobrinhos veio as lembranças das férias de verão passadas em setembro na casa do tio em Avanca. “Ele era um computador, gostava muito de conversar e de gente jovem. Como não tinha filhos nem netos, fomos os netos deles. Contava a vida dele, tudo o que tinha feito na vida politica, na vida científica, as relações literárias…”, recordou António Macieira Coelho. “Passei aqui momentos maravilhosos da minha infância”, afirmou Eduardo Macieira Coelho.

 

No dia seguinte à sessão oficial, realizou-se um Dia Aberto, convidando-se toda a população a visitar a casa-museu. Uma iniciativa que atraiu mais de duas centenas de pessoas neste primeiro dia do resto da vida da casa de Egas Moniz, única em Portugal.

 

 

consulte a galeria de imagens do dia da Reabertura da Casa-Museu

 

 

Informações

 

visitas guiadas

 

ingresso 2€

Gratuito para portadores do cartão-jovem, estudantes e professores devidamente identificados

 

visitas de estudo: a marcação deve ser feita por telefone (de preferência 2 semanas antes)

 

horário

Terça a sexta 9h00-12h00 / 13h30-16h30

Sábados e domingos 14h00-17h00

Encerra às segundas e feriados

 

contactos [email protected] | 234 884 518 | 967 128 579

 

morada: Rua Prof. Doutor Egas Moniz 3860 078 Avanca

GPS: N 40º 48’ 22.0” | W 8º 35’ 21.2”

 

website www.casamuseuegasmoniz.com

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *