Economia, Tecnologia

EMAF e FIMAP mostram o dinamismo das tecnologias de produção do País

As empresas portuguesas estão tecnologicamente mais clarividentes. Há uma «mudança crescente nas solicitações provenientes do mundo empresarial» (dirigidas às entidades que incorporam soluções tecnológicas nas linhas produtivas), que «são mais claras e definidas» e demonstrativas de uma «análise criteriosa das necessidades nas vertentes de otimização dos processos» – objetivando sobretudo a «redução dos custos operacionais» – e de uma «visão precisa dos produtos a desenvolver».

A análise é  de Augustin Olivier, assessor da direção INESC TEC, laboratório associado que, na esfera do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores – Porto, desenvolve há mais de 25 anos atividades de investigação, desenvolvimento e transferência de tecnologia, a pensar na eficiência e na competitividade da comunidade empresarial (todo o pulsar do setor e novidades em http://www.emaf.exponor.pt/noticias.aspx).

O INESC Tecnologia e Ciência é um dos cerca de 270 expositores que, desta quarta-feira a sábado, no recinto de eventos da EXPONOR (em Matosinhos), participam na EMAF – 14.ª Feira Internacional de Máquinas, Equipamentos e Serviços para a Indústria, na FIMAP – 17.ª Feira Internacional de Máquinas para Trabalhar Madeira e no FERRÁLIA – 12.º Salão de Acessórios e Equipamentos para a Indústria da Madeira.

O acontecimento agrega, em cinco pavilhões, uma amostra alargada e de referência de exportadores, fabricantes, representantes de marcas, “start ups” e polos de competitividade, que reforçarão os negócios de vários segmentos industriais e “puxarão” pela economia do País durante quatro dias.

 

Dois prémios para 25 soluções

O evento é igualmente um ninho de novidades de – e para as – tecnologias de produção. O 6.º Concurso de Inovação é uma das bitolas. Dinamizada pela EXPONOR em parceria técnico-científica com a revista «Robótica», a iniciativa, que honra os projetos que nos últimos dois anos se notabilizaram no desenvolvimento soluções inovadoras para o processo produtivo industrial, recebeu uma última inscrição, já no fecho, fazendo subir para 25 os produtos (de 10 empresas) candidatos ao Prémio Leonardo da Vinci (Inovação Nacional) e ao Prémio Nicola Tesla (Inovação Internacional).

A competir estão uma quinadora de tecnologia híbrida Greenbender (da Adira); um equipamento de decapagem química de pinturas por ultrassons (da Coniex – Produtos Químicos e Máquinas); um sistema otimizado de controlo de acionamentos descentralizados Movipro (da SEW – Eurodrive Portugal); um iluminador de visão artificial, uma máquina dupla de inspeção dimensional de peças torneadas e uma outra de calibração de provetas e balões (todas da Vimétrica – Soluções de Visão Artificial); uma máscara Fit Mask 87 (Sibol) de proteção buco-nasal para filtragem de partículas e contaminantes, um sistema (Evacuaid) de ativação de ajuda e evacuação integrada por bracelete no pulso, um diferencial (Strops) com dinamómetro, um Trolley GT 5326 (GT Line) para transporte de ferramentas e equipamentos em situações adversas, um sistema (Froment) de corda Cameleon para trabalhos e posicionamentos em atividades de suspensão e um alicate multifunções (Rennsteig) para a indústria de instalação de energia solar (todos apresentados pela Acoeste); uma câmara de inspeção Mastervision, uma chave combinada multifunções reversível Mastergear e uma outra para tubos Mastergrip (as três da Ega Master); um ensaio funcional com LinMot, um controlador IAI MSEP, um outro IAI PMEC, um atuador IAI RCP4 com controlador IAI PCON – CA e os robôs Universal Robots (da EPL – Soluções Industriais:); uma cabine de duche Don’t Peek (equipada com quatro televisões para reprodução de vídeo nas duas faces laterais da cabine), uma máquina dispensadora (Have Balls) de bolas anti-stress personalizadas ao gosto do cliente e um conceito de integração criativa de engenharia e tecnologia para o mercado publicitário (da Solien – Soluções Integradas de Engenharia, o trio); um transmissor de temperatura sem fios (da Bresimar Automação); e, por último, um ROI (Robotized Object Inspection), isto é, um sistema de inspeção visual que vem completar o AOI (Automatic Object Inspection) já existente (da Controlar).

 

Transformar ideias em 3D in loco

Entre as iniciativas inovadoras na edição deste ano da EMAF 2012 destaca-se igualmente o projeto “Creativity by desktop 3D making”, numa parceria entre a EXPONOR e a Weproductise. No “stand” 5C40, a iniciativa permitirá a qualquer pessoa com talento criativo desenhar e transformar uma ideia num protótipo tridimensional, com equipamentos de fabricação (automáticos) economicamente acessíveis.

Em parceria com vários jovens designers, a firma apresentará também várias novidades (na localização 5C47), desde mobiliário modular até um “skate” de última geração, passando por brinquedos com eletrónica incorporada e porta-guardanapos multifunções.

 

A feira na palma da mão…

A organização da EMAF/FIMAP terá ainda disponível para visitantes e expositores uma aplicação móvel para “smartphones” e “tablets” (nos sistemas IOS e Android), com o intuito de melhorar a informação. A solução pode ser descarregada gratuitamente em: http://www.emaf.exponor.pt/enews/2012/emaf_11_pt.html.

Confira já de seguida o programa de atividades paralelas à  feira.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *