Portimão, Turismo

Primeiros navios do projeto Ocean Revival foram afundados em Portimão

Com o afundamento da corveta “Oliveira e Carmo” e do navio-patrulha “Zambeze”, começou ontem a ganhar corpo o projeto Ocean Revival, para criação de um polo de turismo subaquático ao largo da costa de Portimão, a 30 metros de profundidade e a cerca de três milhas da Prainha.

 

Momentos de particular espetacularidade, ambos os afundamentos foram acompanhados por largas centenas de pessoas, tanto em terra como a bordo de diversas embarcações, tendo sido também transmitidos em direto para todo o mundo através da internet.

 

A partir de agora, e em tempo oportuno, a Capitania do Porto de Portimão anunciará a abertura dos navios a qualquer tipo de mergulho, incluindo penetração para mergulhadores devidamente certificados.
Os dois vasos da Marinha Portuguesa compõem o primeiro núcleo daquele projeto, que num futuro próximo também prevê o afundamento da fragata “Hermenegildo Capelo” e do navio oceanográfico “Almeida Carvalho”, criando em simultâneo um recife artificial propício ao desenvolvimento do ecossistema marinho.

 

Para preservar o meio ambiente, os navios serão alvo de uma apurada operação de limpeza de todos os materiais nocivos e que terá lugar nos estaleiros de Portimão, como já havia sucedido com a “Oliveira e Carmo” e o “Zambeze”.

 

O projeto Ocean Revival está orçado em cerca de três milhões de euros e é da responsabilidade da empresa Subnauta, contando com os apoios da Marinha Portuguesa e da Câmara Municipal de Portimão.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *