Cultura, Portimão

“A Guitarra Portuguesa” e “Formas de Terra e Fogo” no Museu de Portimão até 25 de novembro

O Museu de Portimão prolongou até 25 de novembro o prazo de exibição das duas mostras temporárias atualmente patentes, e que são “A Guitarra Portuguesa” e “Formas de Terra e Fogo”.

 

“A Guitarra Portuguesa” proporciona as visitantes a oportunidade de conhecerem as origens do instrumento, cujo som característico foi um dos principais motivos para que o fado, considerado a canção nacional portuguesa, tenha sido consagrado recentemente como Património Imaterial da Humanidade.
Remontam ao século XVI as primeiras referências à cítara europeia, cordofone que acabará por dar origem à guitarra portuguesa como a conhecemos e que no início do século XIX era um instrumento associado às classes mais pobres, passando a afirmar-se junto da burguesia no final desse período.
Na primeira metade do século XX, os mestres construtores e os guitarristas realizaram em conjunto um trabalho que transformou a guitarra como é hoje reconhecida e que se divide em três modelos, de acordo com os locais da sua maior utilização: Lisboa, Coimbra e Porto.

 

Em paralelo, continua exposto um conjunto de peças da escultora Sara Navarro, intitulado “Formas de Terra e Fogo”, que faz uma ponte entre os processos mais remotos da produção cerâmica e a criação artística contemporânea.

 

As esculturas da artista, (re)criadas pela arte do fogo, transmitem algo de primitivo, pré-histórico ou arqueológico, e evocam a arte e a cultura de outros tempos, de outros lugares.

 

Na nave central pode ser vista a exposição permanente “Portimão – Território e Identidade”, a qual funciona como o grande núcleo expositivo de síntese e referência da história local, dos momentos mais determinantes da evolução social do município de Portimão e dos seus habitantes, de uma forma integrada, globalizante e evolutiva.

 

O Museu de Portimão abre portas à terça-feira das 14h30 às 18h00 e de quarta a domingo entre as 10h00 e as 18h00, tendo sido agraciado com várias distinções, de onde se destacam os prémios “Museu do Ano 2010 do Conselho da Europa” e “DASA – Mundo do Trabalho em 2011”.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *