Cultura, Matosinhos

Exposição de Rui Anahory na Galeria Municipal de Matosinhos

A Galeria Municipal da Câmara de Matosinhos vai inaugurar, no próximo dia 13 de Outubro, sábado, pelas 17h00, uma exposição de pintura e escultura intitulada “Imagens e Tempo” do artista Rui Anahory.

A exposição conta com obras de pintura e escultura desde dos anos 70 até aos nossos dias. Todas as obras apresentadas fazem parte do acervo do artista e grande parte delas nunca foi apresentada ao público.

Rui Anahory escreve no catálogo da exposição: “Decidi fazer esta exposição – Imagens e Tempo – por achar que tem trabalhos que deviam poder ser vistos sobretudo as coisas mais antigas. No fundo é essa a finalidade e sentido do trabalho artístico. São trabalhos que datam de 1976 a 2010 que tenho na minha posse. Com linguagens e técnicas diversas, caminhos interrompidos, ou apenas esboçados, um conjunto fragmentário do que é um todo de períodos de tempo e experiências díspares. Há trabalhos que são públicos agora ou foram uma ou duas vezes, avulsas, se tanto. Em geral são caminhos apontados que por uma razão qualquer não tiveram continuidade. Tiveram a qualidade de dar respiração, libertar e permitir de algum modo mudar de assunto e continuar. Comecei “oficialmente” a pintar, porque eu posso abraçar-me a uma escultura mas a uma pintura não… e encontrei nisso uma sedução contraditória. A pincelada, a mancha ou a obliteração os salpicos e escorridos, funcionam como narrativas, camadas de tempo, sedimentos de transparências ou opacidade e sentimentos indefiniveis que adentram noutros domínios, noutra dimensão. Foi por isso.. “

Rui Anahory nasceu em 1946 em Grijó, Vila Nova de Gaia. Licenciado em Artes Plásticas em 1979 pela ESBAP, conhece no mesmo ano o escultor João Cutileiro o que viria a marcar o rumo do seu trabalho como escultor e artista plástico.

Realiza trabalhos de escultura e performance no rio Douro em colaboração com as II Jornadas Internacionais de Música Contemporânea do Porto organizadas pela Oficina Musical dirigida pelo Maestro Álvaro Salazar, que permitiram a concretização de algumas ideias latentes sobre espaço escultura e movimento. Prémio de escultura de Ar Livre na Amadora nos anos oitenta do século XX, realizou várias exposições individuais e participou em várias coletivas, em Portugal e no estrangeiro. Tem realizado cenografias, edições de escultura, serigrafia e cerâmica.

Está representado em espaços públicos: Póvoa de Varzim – “Monumentos às Gentes da Póvoa de Varzim”; Esmoriz – Ovar – Monumento de “Homenagem à Pesca da Arte Xávega”; Bragança – Monumento ao “Agricultor Bragançano (Chega de Bois).

Participação em simpósios de escultura: Simpósio Internacional de Escultura em Pedra, Évora (1981); “Encontro com o Granito”, Simpósio Internacional de V. N. de Cerveira (1996); Simpósio de Escultura em Granito e Ferro, Póvoa de Varzim (1997).

Em 2007 realiza as “Portas do Céu”(Janua Coeli) que integram a fachada da Igreja Matriz da Póvoa de Varzim a assinalar os 250 anos da sua existência.

De 1996 a 2007 foi docente do departamento de Escultura da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto.

Está representado em diversas instituições públicas e colecções particulares.

 

Horário da Galeria: 2ª a 6ª feira das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30

Sábados e Feriados das 15h00 às 18h00

Encerra ao Domingo

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *