Educação, S. João da Madeira

S. João da Madeira irá ensinar mandarim em todas as escolas

A emergência da China levou a Câmara a introduzir o ensino de mandarim nos 3º e 4º ano de todas as escolas básicas do concelho: começa já em janeiro de 2013. E será pedido ao Ministério autorização para abrir turmas bilingues português-mandarim do 1º ao 12º ano.

 

 

A Câmara Municipal de S. João da Madeira aprovou hoje, 9 de outubro, duas resoluções de grande alcance para o futuro da sua população: a introdução da disciplina de mandarim em todas as escolas de ensino básico do município; e o pedido de autorização ao Ministério da Educação para que num estabelecimento de ensino  público da cidade funcionem turmas bilingues português-mandarim, desde o 1º ano de escolaridade até ao 12º ano.

A afirmação da China como grande potência mundial e a deslocação da atividade económica para Oriente são as principais razões que, segundo o presidente da Câmara, Castro Almeida, estão na origem desta decisão: “Para uma terra com tantas empresas exportadoras como S. João da Madeira, as relações com a China nas próximas décadas serão absolutamente vitais. Para se vender para aquele que é já o maior mercado da humanidade, e que continuará a crescer, saber falar a língua dos seus empresários será um fator competitivo muito importante”.

 

De acordo com a primeira resolução aprovada, a partir de janeiro de 2013 todos os alunos do 3º ano de escolaridade do ensino público de S. João da Madeira irão ter uma disciplina de iniciação ao mandarim. A partir do ano letivo 2013/2014, para além dos alunos do 3º ano começarem a ter aulas de mandarim logo em setembro, todos os do 4º ano irão frequentar um segundo ano de estudo da língua.

A coordenação científica e pedagógica será garantida pela Universidade de Aveiro, através do seu Departamento de Línguas e Culturas. Será também a Universidade de Aveiro a fornecer os professores, maioritariamente chineses. A partir do 5º ano qualquer aluno poderá prosseguir os seus estudos em mandarim no Instituto de Línguas de S. João da Madeira, comparticipando a autarquia os respetivos custos.

 

A segunda resolução aprovada será a de pedir autorização ao Ministério da Educação para instalar numa das escolas públicas de S. João da Madeira, turmas bilingues Português-Mandarim desde o 1º ano até ao 12º ano. O modelo pedagógico a seguir será o dos melhores colégios privados em Portugal com ensino bilingue noutras línguas, como o Colégio Alemão, o Liceu Francês ou a St. Julian’s School.

A Câmara de S. João da Madeira está disponível para assumir os sobrecustos deste ensino bilingue. No entanto, o seu presidente está convencido que o Governo reconhecerá interesse no projeto e que, certamente, irá assumir uma parte das despesas.

 

“De uma forma geral, as autarquias estão a concluir o ciclo da construção de insfraestruturas – é o caso de S. João da Madeira”, afirma Castro Almeida. “Cabe-nos agora trabalhar para dar às populações, sobretudo aos mais jovens, instrumentos que lhes permitam no futuro trabalhar a alto nível e ser competitivos na economia global”.

Segundo o presidente da Câmara de S. João da Madeira, se dentro de 10/12 anos houver em S. João da Madeira 200 a 300 pessoas que falem fluentemente mandarim, isso conferirá um potencial imenso às suas empresas. “O tempo irá provar a importância do que estamos agora a lançar”, conclui Castro Almeida.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

1 comentário

  1. Parabens ao municipio de S. João da madeira, que pensa sempre á frente! Não é por acaso que as suas escolas estao cheias de alunos de outros concelhos, porque aqui pensa-se e executa-se.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *