Cultura, Mangualde

Conversas camilianas na biblioteca de Mangualde

De forma a assinalar as comemorações dos 150 anos da publicação da obra «Amor de Perdição», de Camilo Castelo Branco, a Câmara Municipal de Mangualde promove a iniciativa «Conversas Camilianas». A decorrer no dia 4 de outubro, a partir das 16h30, na Biblioteca Municipal, a sessão conta com a intervenção de José Valle Figueiredo, Diretor da Sociedade Histórica da Independência de Portugal. Paralelamente, decorrerá a exposição da Coleção Camiliana de Paulo Sá Machado, patente ao público de 1 a 13 de outubro e a apresentação do vinho “Amor de Perdição”, da Quinta de Cabriz.

A iniciativa pretende homenagear o escritor português Camilo Castelo Branco, e relembrar o romance, que escrito em apenas quinze dias, durante o período de clausura, é o romance mais célebre do autor e constitui a obra definitiva do seu período romântico – «Amor de Perdição». Neste exemplo do melhor romantismo português do século XIX, Mangualde ocupa um lugar incontornável. De facto, na ficção de Camilo Castelo Branco, “O Retrato de Ricardina” e “A Doida do Candal”, Mangualde e personalidades mangualdenses assumem papel de destaque. Falar de “Camilo e a Beira” será, pois, inscrever Mangualde no quadro que o grande escritor escolheu para pano de fundo de algumas das suas obras mais emblemáticas.

Natural de Tondela, José Valle de Figueiredo, nasceu em 1942, e é uma figura importante no panorama literário da poesia portuguesa contemporânea. Atual Diretor do Semanário Folha de Tondela, o jornal mais antigo do Distrito de Viseu, Valle de Figueiredo foi Chefe de Redacção do Semanário Observador, Diretor do Quinzenário Combate, em Coimbra, e dos cadernos culturais Cidadela e Commedia, igualmente naquela cidade. Desempenhou funções como Consultor de várias Autarquias para questões relacionadas com o Património Cultural. Organizou inúmeros colóquios, exposições e conferências, tendo produzido uma variadíssima obra literária e ensaística. Produziu ainda programas para a Rádio Televisão Portuguesa: a “História do Traje”; “No Centenário d’Os Lusíadas”; “O Que é isso do Património?”. Foi galardoado com a Medalha de Prata do Concelho de Oeiras, por serviços prestados à causa do património cultural e recebeu em 16 de setembro do corrente ano, a Medalha de Mérito Municipal, concedida pelo Município de Tondela.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *