Arouca, Turismo

“Valeu a pena” – Artur Neves – Arouca

Artur Neves resumiu o sucesso da 11.ª Conferência Europeia de Geoparques como corolário de todo o percurso feito pelo Arouca Geopark. “Este evento está a ser, e irá ser, não tenho qualquer dúvida, um marco indelével na história de Arouca, e as imagens destes dias ficarão para sempre na memória de todos os arouquenses”, referiu o presidente da Câmara de Arouca, agradecendo a visita dos mais de 300 conferencistas, vindos de mais de 40 países.

 

A cerimónia de encerramento, que decorreu ao final da tarde de 20 de setembro, na Escola Secundária de Arouca, foi a altura escolhida para dar a conhecer os novos membros das redes europeia e global de geoparques. O alargamento do território de Lesvos (Grécia), Central Catalonia (Espanha), Bakoni Balaton (Hungria), Sangingshan (China), Chablais (França), Carnic Alps (Áustria) e Batur (Indonésia) são os novos geoparques, que receberam das mãos de Nickolas Zouros (coordenador científico da Rede Europeia de Geoparques – EGN) e de Patrick Mckeever (chefe do Observatório Global da Terra – UNESCO) os respetivos galardões.

 

“Deixemos que este caminho, agora iluminado, nos mostre as práticas mais adequadas para implementarmos, para que possamos ultrapassar as dificuldades e os tempos desafiantes por que passamos, e aproveitemos as novas oportunidades que, juntos, podemos mais facilmente desenvolver”, afirmou Margarida Belém, presidente da Direção da AGA – Associação Geoparque Arouca, que enalteceu e agradeceu todo o trabalho desenvolvido pela vasta equipa da associação e da autarquia, que prestou apoio ao evento.

 

Também à Escola Secundária foram tecidos os mais rasgados elogios pela forma como, “desde o primeiro momento, acolheu esta Conferência”, agradecimentos que foram reiterados também por Artur Sá, Coordenador Científico do Arouca Geopark. O movimento associativo não foi esquecido, “pela incansável cooperação com a autarquia e com a AGA”, na dinamização da programação cultural.

 

Nos seus discursos, Nickolas Zouros e Patrick McKeever reforçaram a ideia já transmitida de que “os geoparques são as pessoas”, reforçando a necessidade de prosseguir a dinâmica de rede. Foi, ainda, lançada a 12.ª Conferência Europeia de Geoparques, que decorrerá no território de Cilento i Valle di Diano (Itália).

 

Presente na cerimónia esteve o Secretário de Estado da Floresta e do Desenvolvimento Rural, que salientou a importância dos geoparques no “apoio às linhas orientadoras expressas na estratégia Europa 2020”. Considerou, ainda, a dinâmica geoparque “muito importante no contributo para a preservação da diversidade biológica, geológica e cultural”.

 

A abrir a cerimónia de encerramento, a surpresa foi o “Concílio Geoparquiano”, uma dramatização que transforma em personagens de uma espécie de “concílio dos deuses” as ocorrências rochosas do Arouca Geopark. Esta atividade foi dinamizada pela Escola Secundária.

 

As atividades da 11.ª Conferência Europeia de Geoparques que decorrem em Arouca terminam a 21 de setembro, com uma visita de campo aos geossítios mais emblemáticos do território, onde se destaca uma visita ao renovado geossítio das Pedras Parideiras.

 

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *