Baião, Sociedade

Décima sessão do projeto incentiv(arte) e uma sessão final… a pedido de várias crianças em Baião

A décima sessão do projeto Incentiv(arte) realizou-se a 3 de Setembro e esteve aberta a toda a comunidade, tendo contado com a presença de 64 pessoas. Pretendeu-se mostrar, através de um evento final, as atividades desenvolvidas ao longo do mesmo.

Como forma de as dar a conhecer, foi feita uma exposição de cenários e material resultante das várias expressões artísticas, na Biblioteca Municipal de Baião. Assim sendo, os visitantes da exposição e do evento final, tiveram a oportunidade de ouvir, por um dos meninos participantes do projeto, a explicação de cada uma das atividades desenvolvidas na exposição das 9 sessões que decorreram ao longo do período de duração do projeto.

Puderam também, ouvir e ver os pequenos contadores em ação, dando voz a quatro belas histórias. O canto e música estiveram igualmente presentes. A assistência afinou a garganta e toca a cantar, acompanhados por uma guitarra clássica, tocada por um dos meninos participantes. O evento terminou com a representação da peça de teatro “A velha e o garrafão”, inspirada e emergente de uma adaptação da história “A velha e o garrafão”, incluída no livro “Abada de Histórias”, de António Mota.

Olhos brilharam, mãos aplaudiram, sorrisos e gargalhadas contagiantes rasgaram-se e propagaram-se no ar…

A pedido das crianças e em data posterior, a 10 de Setembro, foi feita uma sessão extra – a 11ª sessão. Nesta sessão depois de ouvirem o conto João e o pé de feijão, às crianças foi levado um pouco do mundo real. Um grande e florido feijoeiro foi levado para a biblioteca, podendo as crianças debulhar e descobrir dentro das vagens feijões “patarrolas” de duas diferentes cores.

De seguida, as crianças pintaram com guache um cenário coletivo: o da história que tinham ouvido. Também as personagens começaram a surgir, pintadas a lápis de cor. O João e a sua mãe tiveram o privilégio de ganhar vida, pois foram elaborados em formato articulado. A história foi recontada pelas crianças com a ajuda dos bonecos e cenário que estas tinham construído.

Na despedida levaram consigo, “Joões” e “mães” articuladas a dançar e bolsos cheios de feijões-verdes para cozinhar e secos para semear.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *