Cultura, Sociedade, Tomar

Festival Estátuas Vivas de Tomar viaja à Idade Média na rota dos Templários

De 14 a 16 de Setembro, está de regresso o Festival Estátuas Vivas de Tomar. Após o sucesso dos dois primeiros anos, a edição de 2012 continua a inovar. Sob o mote “Viagem à Idade Média”, propõe-se um regresso ao passado centrado em figuras proeminentes da História de Portugal, mas também no quotidiano do povo. Na Rota dos Templários, o Festival alarga-se do Convento de Cristo ao Castelo de Almourol e à vila de Dornes. Cresce a oferta de iniciativas dedicadas às crianças, bem como de animação em geral. E a cereja no topo do bolo será a tentativa de novo recorde mundial de suspensão, por parte de António Santos, pioneiro da imobilidade expressiva em Portugal. Tudo com entrada livre.

De 14 a 16 de Setembro, Tomar volta a permitir aos moradores locais e aos visitantes que viajem na Máquina do Tempo. 26 estátuas vivas vão recriar personagens da Idade Média, desde ilustres figuras da História de Portugal a outras que ganham vida oriundas de iluminuras da época.

O III Festival Estátuas Vivas começa na sexta-feira à noite, com a Seleção 2011, na qual se fará a reposição de algumas das melhores performances do ano passado. Doze artistas, de diferentes nacionalidades, vão recriar a História de Portugal, entre a Rua Marquês de Pombal e a Praça da República, das 22 horas à meia-noite. Mas a animação não se esgota a essa hora, continuando nas esplanadas, com magia, cuspidores de fogo e a envolvência da música.

No sábado e domingo de manhã, à semelhança do que aconteceu em 2011, haverá Histórias aos Quadradinhos no Mouchão Parque, com as jovens promessas da arte da imobilidade a mostrarem o que valem.

Mas há boas novidades para o público mais novo. Este ano, também as tardes vão ter um espaço próprio para as crianças com diversas iniciativas de animação a decorrerem igualmente no Mouchão entre as 16h30 e as 19h15.

É precisamente neste horário (sábado e domingo) que vai decorrer o Festival de Estátuas propriamente dito, de novo com a vertente de concurso, sendo os visitantes convidados a votarem no seu favorito. No sábado, também durante a noite, entre as 22 e as 24 horas.

Viagem à Idade Média… na Rota dos Templários

No centro histórico de Tomar, cruzando-se com guerreiros mouros e cavaleiros da Ordem do Templo, a Máquina do Tempo transportará os viajantes até à Idade Média. Assim, num passeio entre a Ponte Velha e a roda do Mouchão, seguindo depois pela Corredoura até à Praça da República, catorze personagens medievais irão ganhar vida, saindo de iluminuras daquela época.

Subindo ao castelo, inicia-se a Rota dos Templários. Os visitantes irão encontrar-se com o mestre templário D. Gualdim Pais e com ele farão um percurso da Reconquista aos Descobrimentos, da Ordem do Templo à de Cristo.

Na senda dessa época em que se alargaram territórios, também o Festival extravasa as portas da cidade e se expande a locais vizinhos, concretamente ao castelo de Almourol (Vila Nova da Barquinha) e à torre de Dornes (Ferreira do Zêzere), ambos obras de D. Gualdim e exemplos mágicos da arquitetura templária, e que serão este ano igualmente cenários para as Estátuas Vivas recriarem a presença da ordem militar.

Todo o circuito do III Festival Estátuas Vivas de Tomar, num total de 25 quadros, terá acesso livre e gratuito e no seu decorrer haverá animação cultural alusiva à época.

No domingo, as estátuas vivas rumam à Praça da República, após as 19h15, para às 20 horas ser feito o anúncio das três premiadas, a partir da votação dos visitantes.

António Santos tenta bater recorde do mundo em Tomar

Há 25 anos, António Santos, o “Staticman”, introduziu em Portugal a arte da imobilidade expressiva, provocando curiosidade e surpresa entre quem passava pela Rua Augusta, em Lisboa.

Durante um quarto de século, foi ganhando admiradores e seguidores, correu mundo ganhando a vida por estar quieto, foi inspiração para personagens de livros e repetidamente considerado o homem mais quieto do globo: esteve nove anos no Guinness Book of Records, bateu por três vezes o recorde mundial de imobilidade e uma vez o recorde mundial de menor velocidade em marcha.

Agora, para celebrar os 25 anos de carreira, António Santos, que colabora com a organização do Festival Estátuas Vivas desde a primeira hora, deu a Tomar a honra de aqui tentar ultrapassar o recorde do mundo de suspensão só com um ponto de apoio visível. Assim, a partir das 16 horas de sábado, dia 15 de Setembro, “Staticman” vai estar na Praça da República, apoiado por um cotovelo numa parede, a vários metros do solo.

O recorde do mundo está na posse do grupo Magic Twins, com o tempo de 200 minutos, realizado em Santiago do Chile.

António Santos começará a sua prova meia hora depois das restantes estátuas vivas ocuparem os seus lugares e, se aguentar firme no seu posto até às 20h21, terá mais um recorde do mundo para juntar ao seu riquíssimo currículo. Mas não vai ficar por aí, propondo-se permanecer no ar o máximo de tempo possível ao longo dessa que poderá ser uma noite memorável.

Para efeitos de homologação, a prova será supervisionada por um júri idóneo e independente.

Crianças e jovens cada vez mais envolvidos no Festival

A iniciativa foi estreada em 2011, com total satisfação dos participantes e do público. Após um workshop ministrado por António Santos, um conjunto de jovens tomarenses “brincou” à arte da imobilidade com tanto empenho que encantou quantos passaram pelo espaço das Histórias aos Quadradinhos.

Este ano, a esses juntaram-se outras crianças e jovens, num total de 40 estudantes que frequentaram os dois workshops de onde saíram 22 deles que agora irão dar vida a personagens saídos de capas de livros, desde Harry Potter à sereia Ariel, da fada Sininho ao Naruto.

Assim, nas manhãs de sábado e domingo, a ilha do Mouchão será, mais uma vez, o palco das Histórias aos Quadradinhos, entre as 11 horas e as 12h30.

No futuro, e pela qualidade e interesse que têm vindo a ser demonstrados, muitos destes jovens poderão vir a ser protagonistas dos quadros históricos do Festival, afirmando Tomar como um “viveiro” desta arte de rua.

Mas não se fica por aqui a atenção aos mais novos, ou não fosse este Festival uma iniciativa com um importante pendor pedagógico. Assim, durante as tardes de sábado e domingo, também no mesmo espaço, no verde fresquinho do Mouchão, os mais novos poderão divertir-se na Via Verde Júnior, com um conjunto de iniciativas de animação que lhes são especialmente dedicadas.

Todo o festival em www.estatuasvivas.com

O Festival Estátuas Vivas de Tomar é uma organização do projeto Máquina do Tempo, que integra a Câmara Municipal de Tomar, a Escola Básica 2, 3 D. Nuno Álvares Pereira, o Instituto Politécnico de Tomar e o Convento de Cristo/IGESPAR.

Conta com o apoio das Câmaras Municipais de Ferreira do Zêzere e de Vila Nova da Barquinha, do Turismo de Lisboa, da CP, do Intermarché, da Vitalis e da SIC (televisão oficial).

Toda a informação sobre o Festival está agora disponível num novo e remodelado site, que dá primazia às melhores imagens, em www.estatuasvivas.com.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *