Cultura, Vale de Cambra

ConViver Vale de Cambra reforça a Cultura do Fado no concelho

O Jardim Central de Vale de Cambra voltou a servir de cenário ao fado. Na noite do passado dia 20, houve mais aplausos que silêncio a brindar a atuação de Cláudia Madur, a fadista a quem coube protagonizar o regresso das “Sextas de Fado”, no âmbito do ciclo de eventos integrados no Projeto de Regeneração Urbana ConViver.

Acompanhada pela guitarra de Mário Henriques e com António Reis à viola, Cláudia Madur envolveu a numerosa plateia com um “xaile” de entusiasmo. Tanto em conjunto quanto individualmente, o trio deslumbrou, conferindo ao concerto um caráter intimista que o público premiou com uma ovação.

No final, a vereadora Adriana Rodrigues formalizou, em nome do Município e dos valecambrenses, uma sincera gratidão por aquela noite de fado.

A responsável pela tutela da área cultural no Município realçou que o fado, reconhecido pela Unesco como Património Cultural Imaterial da Humanidade, tem no Município muitos apreciadores e intérpretes, tendo enumerado alguns talentos locais.

 

Sobre Cláudia Madur

Apesar de ter descoberto a sua vocação musical ainda com seis anos, Cláudia Madur iniciou a carreira de fadista em Junho de 2006, com 22 anos. Desde então tem sido convidada para variados espetáculos por todo o país, em palcos como o do Palácio da Bolsa, do Teatro Sá da Bandeira, do Casino da Figueira da Foz e no da Casa da Música.

No seu palmarés conta, também, com diversas atuações no estrangeiro, nomeadamente Espanha, França, Alemanha, Dinamarca, Suíça e Estados Unidos da América.

A fadista lançou o seu primeiro trabalho em Julho de 2009 – o álbum “Fado Sem Tempo” contém poemas originais, muitos deles da sua própria autoria, interpretados em alguns fados tradicionais.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *