Lamego, Sociedade

Câmara de Lamego avança com requalificação do cais de Bagaúste

O cais de Bagaúste está a um passo de se tornar num “excelente equipamento de apoio à navegação fluvial” do rio Douro, após a conclusão das obras de requalificação que ali estão a decorrer e que darão lugar a uma nova zona ribeirinha de lazer e um local privilegiado para a realização de desportos não motorizados. Esta intervenção está a ser executada pela Câmara Municipal de Lamego através de um investimento de 1.376.317,17 €, financiado por fundos comunitários (85%) e pelo Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos – IPTM (15%). No final da assinatura do protocolo de cooperação institucional que garante o financiamento da componente nacional deste projeto, Francisco Lopes, Presidente da autarquia, destacou que esta obra terá um “custo zero” para o município e realçou mais este contributo positivo do IPTM para a dinamização do complexo de instalações portuárias fluviais.

Situado na margem esquerda do rio Douro, a remodelação do cais de Bagaúste visa sobretudo o aproveitamento do seu potencial para o desenvolvimento turístico regional. Os trabalhos que estão a ser executados são, por esta razão, bastante diversificados, incluindo o rearranjo urbanístico e paisagista do espaço público, a requalificação do acesso e do parqueamento automóvel e a construção de várias infraestruturas de apoio em terra – balneários, cafetaria com esplanada e armazém de canoas.

Destinado a servir o concelho de Lamego e a região do Douro, como última possibilidade de paragem a montante da eclusa de Bagaúste, os futuros utilizadores também terão à sua disposição estruturas de acostagem renovadas para as embarcações de recreio e novas plataformas flutuantes vocacionadas para o apoio ao remo e à canoagem. Será ainda criado um acesso pedonal de ligação a terra do cais que constitui o anteporto montante da eclusa da Régua.

A transformação do antigo porto num moderno cais secundário de apoio à navegação integra uma aspiração maior da Câmara de Lamego de requalificar a orla fluvial a montante da barragem de Bagaúste. Francisco Lopes acredita que o novo equipamento criará “uma dinâmica de desporto fluvial inexistente até agora em Lamego”.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *