Cultura, Reguengos de Monsaraz

Reguengos de Monsaraz declarou tauromaquia como Património Cultural Imaterial de Interesse Municipal

O Município de Reguengos de Monsaraz aprovou por unanimidade em Reunião de Câmara e na Assembleia Municipal declarar a tauromaquia como Património Cultural Imaterial de Interesse Municipal. A tauromaquia assume em Reguengos de Monsaraz uma relevante importância cultural e social, pois os espetáculos tauromáquicos populares e em praça desde há muitos anos fazem parte dos costumes da população do concelho.

 

Esta arte é um importante fator para a preservação da identidade e da memória coletivas, designadamente através dos cavaleiros tauromáquicos José Mestre Batista, João Laureano e Rui Rosado, do Grupo de Forcados Amadores de Monsaraz e das ganadarias de Luis Rocha e de São Marcos, justificando-se plenamente por este facto o seu reconhecimento como Património Cultural Imaterial de Interesse Municipal.

 

Mestre Batista tem o seu nome perpetuado desde 2009 na sua terra natal, S. Marcos do Campo, num monumento com quatro metros de altura com a imagem do cavaleiro. O seu nome foi ainda atribuído à Praça de Toiros de Reguengos de Monsaraz em 2011.

 

De referir igualmente que o concelho de Reguengos de Monsaraz tem várias personalidades ligadas à tauromaquia, como por exemplo Agostinho Borges, ex-forcado e atual delegado técnico da Inspeção Geral das Atividades Culturais, mas também os empresários Vasco Durão e José António Costa.

 

Através desta declaração, o Município de Reguengos de Monsaraz pretende reiterar junto das entidades competentes a necessidade de se proceder à apresentação de uma candidatura nacional para a inscrição da tauromaquia no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, mas também a Património da Humanidade da UNESCO.

 

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *