Cultura, Póvoa de Varzim

Rancho Tricanas da Lapa nos “Domingos das Nossas Gentes” na Póvoa de Varzim

O Rancho Tricanas da Lapa encheu de vida o Auditório da Lota com as suas danças e cantares, durante a tarde de domingo. Este foi mais um “Domingo das Nossas Gentes” que atraiu centenas de visitantes ao local.

À semelhança dos anteriores, o evento contou igualmente com a presença de Lucinda Delgado, Vereadora do Pelouro do Desenvolvimento Socioeconómico, que felicitou o Rancho pela sua participação e o Leões da Lapa Futebol Clube, em geral, que este ano completou 50 anos dedicados à causa da animação cultural, social e desportiva do bairro sul da Póvoa de Varzim.

 

Sobre o Leões da Lapa Futebol Clube:

O Leões da Lapa Futebol Clube foi fundado a 1 de Abril de 1962 por um grupo de rapazes que jogava futebol na rua. Estes costumavam realizar jogos com grupos de amigos diversos, oriundos de Vila do Conde e da Póvoa de Varzim. Os resultados positivos levaram-nos a se autonomearem Leões. Como estes viviam na zona da Igreja da Lapa decidiram, então, apelidar-se de Leões da Lapa. Durante 20 anos este grupo foi existindo, sem a mínima organização, continuando apenas a jogar futebol.

Em 1982 nasce a Associação com sede na rua Pereira de Azurar, n.º48, tendo sido oficializado um ano mais tarde a sua criação ao serem publicados os Estatutos em Diário da República.

Várias são as atividades praticadas no clube: futebol, atletismo, ténis de mesa, etc… Durante todos esses anos vários foram os títulos arrecadados recheando uma sala de troféus, inaugurada em Março de 1996 em homenagem ao eterno Jorge Baldaia.

Do ponto de vista cultural, o clube tem também várias atividades como a organização das Festas de São Pedro, o teatro, os jogos tradicionais, a sueca, a canastra e, sobretudo, o Rancho das Tricanas da Lapa.

O Rancho das Tricanas da Lapa nasceu em Dezembro de 1952, dez anos antes do aparecimento dos Leões da Lapa F.C., tendo estado inativo, por motivos alheios à sua vontade, durante cerca de 30 anos renascendo em 1985.

Este agrupamento tenta reproduzir, o mais fielmente possível, o retrato do pescador poveiro e a mulher tricana dos anos 30 até fins dos anos 50. O homem vestia boina preta, camisa aos quadrados, calça preta, meia branca e sapato preto – era o homem típico da classe piscatória. Ela vestia saia de merino preto justo à anca, blusa de renda, avental de seda às ramagens, meias com risca na vertical e chinela preta de tacão esguio.

Este Rancho, desde o seu reaparecimento em 31 de Julho de 1985, tem tido uma atividade intensa, tendo percorrido Portugal de Norte a Sul, França, Espanha, Alemanha, Brasil, entre outros.

 

A iniciativa está inserida no programa “Domingos das Nossas Gentes”, promovido pelo município da Póvoa de Varzim com o objetivo de dinamizar este espaço acolhedor do Porto de Pesca. Os próximos grupos a participar são o Grupo Recreativo e Etnográfico “As Tricanas Poveiras”, que atua a 26 de agosto e o Rancho Folclórico S. Pedro de Rates, a 2 de setembro.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *