Cultura, Nisa

Exposição Documental “Peregrinos de Nisa nos Caminhos de Santiago”

Na Biblioteca Municipal de Nisa está patente até final de julho a exposição “Peregrinos de Nisa nos Caminhos de Santiago” que compila e ilustra momentos marcantes, experiências e vivências de grupos de nisenses em diversas peregrinações até Santiago de Compostela e integra fotografias, documentos, testemunhos de passagem por locais, utensílios e equipamentos dos peregrinos.

Em 2006 e 2007, um grupo de nisenses – António Almeida Valente, António Pimpão, Rosalino Castro e Sérgio Cebola – decidiu aventurar-se naquele que é considerado o mais carismático de todos os caminhos pedestres, o Primeiro Itinerário Cultural Europeu (1987) e Património da Humanidade em Espanha (1993) e em França (1998): O Caminho de Santiago de Compostela. A partir de Nisa dirigiram-se até à Galiza percorrendo o “Caminho Português do Interior” (ou “Caminho Português do Leste”), que tem início no Algarve. Percorreram 592 Km, realizando etapas intervaladas cronologicamente, exceto as realizadas em solo espanhol, que foram seguidas. No total caminharam durante 16 dias, 6 dos quais seguidos.

Em 2010, optaram por chegar a Santiago de Compostela através do “Caminho Francês”. Entre 19 de abril e 18 de maio, subiram os Pirenéus e percorreram a pé todo o norte de Espanha, ao longo de 900 km até Santiago. Neste mesmo ano de 2010, em Outubro, outro grupo de peregrinos de Nisa – João José Oliveira, Emanuel Ribeirinho e Angel Oliveira – realizaram a travessia do “Caminho Francês” em bicicleta, num total de 10 etapas.

Em abril de 2011, o grupo de peregrinos de Nisa voltou ao Caminho de Santiago, desta feita ao “Caminho Português Central”, desde a cidade do Porto. Em junho de 2011, o grupo de “bicigrinos” fez o mesmo Caminho de bicicleta.

 

Em abril de 2012, o grupo de peregrinos nisenses realizou o “Caminho Primitivo”, entre Oviedo e Santiago de Compostela, que para muitos é considerado o mais duro e espetacular de todos os Caminhos de Santiago.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *