Cultura, Sociedade, Vale de Cambra

Noites de ConViver continuam a animar Vale de Cambra

No mês de Julho vão voltar a Vale de Cambra as noites do ConViver – já no próximo dia 7, pelas 21:30, o Jardim da Feira dos Ovos, em plena cidade de Vale de Cambra, recebe o espetáculo “Contos Cantados”, uma iniciativa para todas as idades que propõe uma forma alternativa de ouvir as pequenas grandes histórias.

É o multifacetado ator Carlos Marques que vai mostrar o seu “Era uma vez…” reinventado que consiste em contar e cantar histórias da nossa tradição oral, recorrendo à música para lhes dar um gosto especial e acrescentando, como condimento gourmet, formas ancestrais de comunicação, como o riso, jogos dramáticos e música.

Carlos Marques, ator / contador de histórias, nasceu em Montemor-o-Novo no ano de 1978, é  licenciado em Estudos Teatrais pela Universidade de Évora, e iniciou o seu percurso como contador profissional em 2007.

Marques chamou às suas performances narrativas Mala de Contos, bagagem com a qual tem vindo a atravessar todo o país e cujo conteúdo vai exibir em Vale de Cambra. Neste momento, assume-se também como programador de narração . O seu reportório assenta na reescrita da tradição oral.

 

 

 

E o fado está de regresso

No dia 20 de Julho é  a vez do projeto “Sextas de Fado” juntar ao calor do verão o aconchego daquela sonoridade tipicamente lusitana, reconhecida pela Unesco, em Novembro do ano passado, como Património Cultural Imaterial da Humanidade.

A missão de levar o fado às noites do ConViver Vale de Cambra estará a cargo de Cláudia Madur, fadista cuja performance se distingue não só pela sua voz e postura em palco, mas também pela forma de interpretar os poemas, atributos que desde cedo a têm caracterizado como uma grande intérprete.

Apesar de ter descoberto a sua vocação musical ainda com seis anos, Cláudia Madur iniciou a carreira de fadista em Junho de 2006, com 22 anos. Desde então tem sido convidada para variados espetáculos por todo o país, em palcos como o do Palácio da Bolsa, do Teatro Sá da Bandeira, do Casino da Figueira da Foz e no da Casa da Música.

No seu palmarés conta, também, com diversas atuações no estrangeiro, nomeadamente Espanha, França, Alemanha, Dinamarca, Suíça e Estados Unidos da América.

A fadista lançou o seu primeiro trabalho em Julho de 2009 – o álbum “Fado Sem Tempo”  contém poemas originais, muitos deles da sua própria autoria, interpretados em alguns fados tradicionais. Alguns temas do seu disco foram integrados nas colectâneas nacionais “Divas Do Fado” e “Fado Portugal”, bem como na compilação internacional “Beginner’s Guide To Fado”.

Refira-se que ambos os espetáculos são de entrada gratuita.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *