Cultura, Marinha Grande, Sociedade

Ribeira das Bernardas na Marinha Grande acolhe projeto de reciclagem

O Parque da Cerca, junto ao espelho de água da Ribeira das Bernardas, na Marinha Grande, apresenta a exposição de arte urbana “Onde Corre a Arte?”, até 15 de junho.

 

A iniciativa promovida pelo estabelecimento de ensino Pátio da Inês foi inaugurada no passado dia 5 de junho, assinalando o Dia Mundial do Ambiente.

 

A inauguração contou com a presença de centenas de pessoas, estacando-se a presença do vice-presidente da Câmara, da vereadora da cultura, diretora do Pátio da Inês, funcionários da escola, crianças, familiares e técnicos da autarquia.

 

Cidália Ferreira, vereadora responsáveis pelos pelouros da cultura e educação, afirmou ser “um enorme orgulho ter uma exposição tão bonita feita pela comunidade educativa e suas famílias”. A autarca mostrou-se satisfeita por saber que “o projeto educativo do presente ano letivo envolveu crianças, pais e professores”.

 

“As obras de arte patentes no Parque da Cerca resultam da reciclagem de materiais, contribuem para melhorar o ambiente e permitem um melhor conhecimento do nosso concelho”, acrescentou Cidália Ferreira.

 

A diretora do “Pátio da Inês”, Isabel Bonita, salientou a importância de se recorrer à arte “como forma de sensibilizar para a proteção da natureza e do ambiente”.

 

A responsável por aquele estabelecimento de ensino agradeceu o envolvimento de todos os que colaboraram na elaboração das esculturas, desde os colaboradores do “Pátio da Inês”, às crianças e suas famílias.

 

Lembrou que o Projeto Curricular do Pátio da Inês do ano letivo 2011/2012, “Corrente Art’istica”, visou a articulação entre a arte e as problemáticas ambientais, tendo como objetivo geral promover boas práticas de sustentabilidade, através de diferentes expressões criativas.

 

O projeto levou os educandos e famílias a refletir e agir, com o intuito de apostar nas boas práticas, conhecer e reconhecer o valor do património natural do concelho da Marinha Grande, nomeadamente da Ribeira das Bernardas.

 

Na inauguração, depois da atuação do grupo coral do “Pátio da Inês”, procedeu-se à inauguração simbólica da exposição e visita às várias esculturas que a integram.

 

Trata-se da exposição de nove esculturas de grandes dimensões, realizadas com materiais reutilizados, que evocam a fauna e usos e costumes associados às ribeiras da Marinha Grande. São representados libelinha, peixe ruivaco, lontra, guarda-rios, aguadeira, lavadeira, moinho e barco.

 

Os trabalhos foram elaboradoras pelos alunos da creche, pré-escolar e 1º ciclo do Pátio da Inês, seus familiares, educadores e pessoal não docente do estabelecimento de ensino.

 

Pretende sensibilizar a comunidade educativa e local para a preservação do meio ambiente, nomeadamente dos recursos hídricos, fazendo enfoque à Ribeira das Bernardas, que atravessa grande parte da malha urbana da Marina Grande, ao longo da qual foram realizados projetos do programa POLIS.

 

A exposição conta com o apoio da Câmara Municipal da Marinha Grande, Bombeiros Voluntários da Marinha Grande, Polícia de Segurança Pública e de Pais e Encarregados de educação que contribuíram com materiais, criatividade e disponibilidade.

 

Vandalismo sobre a arte e o parque

 

Apesar da exposição ter sido inaugurada há poucos dias, a mesma já foi alvo de vandalismo. Algumas das esculturas foram danificadas e removidas do local onde tinham sido implantadas, deixando um sentimento de profundo desagrado por parte dos organizadores e da Câmara Municipal.

 

Além das esculturas, também o material de rega automática do Parque da Cerca foi alvo de vandalismo, esta semana, através da destruição de alguns dos aspersores. Também as casas-de-banho públicas daquele jardim têm sido alvo de comportamentos semelhantes, com alguma regularidade.

 

A Câmara Municipal da Marinha Grande condena veemente estes atos, por serem desprovidos de qualquer tipo de civismo, cidadania e sentido democrático.

 

A autarquia apela à população para que seja vigilante para com os equipamentos públicos e denuncie às autoridades policiais os infratores de tais atos, caso os testemunhe.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *