Celorico de Basto, Sociedade

Planos para a igualdade movem autarquia de Celorico de Basto na realização de Seminário

A Câmara Municipal de Celorico de Basto promoveu a 31 de maio, no salão Nobre dos Paços do Concelho, um Seminário subordinado ao tema “Igualdade de Género e Violência Doméstica”, com destaque para instituições que têm desenvolvido várias ações para promover a “Igualdade de Género” e combater a “Violência Doméstica”.

O autarca Celoricense, Joaquim Mota e Silva, valorizou a realização destas ações de forma a consciencializar a população para as temáticas expostas destacando a igualdade de direitos entre géneros. “Nós, enquanto autarquia, temos o dever de promover a igualdade de oportunidades, facultando o acesso à educação de igual forma para todos. Valorizamos pelo esforço e pelo trabalho o acesso a diferentes cargos independentemente do género da pessoa em causa”, concluiu.

O seminário, voltado para diversos agentes de intervenção social, incidiu sobre as várias temáticas que caracterizam a Violência Doméstica e os meios a usar para combater este “flagelo” social. Esta temática esteve a cargo de Lara Costa, do Gabinete de Informação e Apoio à Vítima de Violência Doméstica, que apresentou a forma de intervenção do Gabinete Bem me quer, um gabinete de apoio à Vítima sediado na cidade de Amarante mas que tem uma intervenção supra – concelhio que incide no slogan “Quem bem me quer, não me mal trata”.

Um gabinete que apresenta como particularidade o facto de conter 3 apartamentos que servem de apoio a famílias de violência, um apoio temporário mas que é “sinónimo do interesse em ajudar quem mais precisa, criando a sensação de apoio num momento dificil”.

Na mesma ordem de ideias esteve a Ana Castro Sousa, Coordenadora da APAV, Porto, que tal como o gabinete anterior, elucidou os presentes sobre a forma de intervenção da APAV, Associação Portuguesa de Apoio à Vitima. Neste contexto, o destaque incidiu nas diferentes dimensões da Violência Doméstica, com ênfase para os fatores de risco, os fatores protetores e a forma de intervenção. Recordou ainda as diferentes ações, campanhas, entre outras desenvolvidas para despertar consciências para a problemática.

Em jeito de conclusão, Ana castro Sousa, deixou claro que “a ação de apoio decorre para que a vontade da vítima prevaleça, dando a capacidade de decisão e o máximo de respeito ”.

Por fim, mas com o mesmo grau de importância, foi a vez de Manuel Albano, Delegado Regional do Norte da CIG, Comissão de Cidadania e Igualdade de Género, expor a “Importância da Igualdade de Género no Poder Local”. De forma sucinta e objetiva, Manuel Albano referiu que as autarquias têm um papel preponderante na igualdade de género sobretudo pela proximidade tida junto da população.

Da mesma forma salientou que “ é necessário quebrar tabus e barreiras para que a sociedade evolua”, até porque, “Igualdade não significa sermos iguais, significa que, na individualidade de cada um e na sua capacidade, ser capaz de atingir o pretendido, independentemente do género”.

Seguindo na óptica deste seminário, importa mencionar que pelouro da Ação Social da Câmara Municipal vai promover, nos dias 6, 14 e 21 de junho, uma formação em Igualdade de Género para dirigentes e colaboradores.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *