Cultura, Trofa

212 Contos concorrem à edição 2012 do Concurso Lusófono da Trofa – Prémio Matilde Rosa Araújo – Conto Infantil

Terminado o prazo para a entrega de contos concorrentes à edição 2012 do Concurso Lusófono da Trofa – Prémio Matilde Rosa Araújo – Conto Infantil, este concurso literário internacional entra agora numa nova fase, até à revelação dos grandes vencedores desta edição, que vai decorrer em novembro, durante as comemorações do aniversário do Concelho da Trofa.

 

Nessa altura serão revelados os premiados de entre os 212 contos a concurso, nas diferentes categorias, designadamente, menções honrosas, melhor ilustração original, prémios lusofonia e o grande Prémio Matilde Rosa Araújo.

 

A Câmara Municipal da Trofa promove anualmente este Concurso Literário Lusófono, destinado a premiar uma obra inédita, em língua portuguesa, na modalidade de Conto Infanto-Juvenil.
Este Concurso conta com o apoio do Instituto Camões e estende-se a todos os países de língua oficial portuguesa, nomeadamente: Portugal, Angola, Brasil, Moçambique, Cabo Verde, S. Tomé e Príncipe, Guiné- Bissau e Timor, tendo como principal objetivo a promoção do gosto pela escrita e pela leitura, particularmente junto da comunidade mais jovem.

 

Nos últimos anos, o Concurso Lusófono da Trofa tem contado com a participação de largas centenas de escritores de todo o Portugal Continental e Ilhas, bem como de todos os países lusófonos.

 

A cada ano, a Câmara Municipal da Trofa procura, com mais esta iniciativa âncora da programação cultural anual, divulgar autores de língua portuguesa, que não tenham qualquer livro publicado na área da literatura infantil, fomentando a valorização da expressão literária e da cultura lusófona.

 

Em 2013, tal como em anos anteriores, o conto vencedor será publicado e lançado pela Câmara Municipal da Trofa, durante a edição anual da Feira do Livro e do Encontro Lusófono de Literatura Infanto-juvenil.

 

Com mais esta iniciativa o Município Trofense consolida a aposta estratégica na cultura, que tem por base o desenvolvimento de políticas orientadas para a afirmação da identidade da comunidade e a democratização do acesso dos cidadãos à fruição e criação culturais.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *