Oliveira de Azeméis, Sociedade, Turismo

16.º “Mercado à Moda Antiga” em Oliveira de Azeméis chegou ao fim

A 16.ª edição do “Mercado à Moda Antiga” chegou ao fim. Mais de 1500 figurantes, 60 associações e instituições, mais de uma centena de tendas e tabernas e milhares de visitantes marcaram o fim-de-semana em Oliveira de Azeméis.

 

 

O “Mercado à Moda Antiga” voltou a atrair milhares de visitantes a Oliveira de Azeméis. Durante o passado fim-de-semana, mais de 1500 figurantes, 60 associações, instituições e grupos recriaram os usos e costumes tradicionais. A organização do GRACC – Grupo Recreativo, Associativo e Cultural de Cidacos – em parceria com a Câmara Municipal informa que o balanço “é positivo”, superando até “as mais otimistas expetativas em termos de condições do estado do tempo, de adesão do público e também de vendas”.

 

“Todos os espetáculos tiveram grande adesão do público e, mais importante, notou-se uma interação muito grande entre os grupos e o público em geral, cumprindo o nosso objetivo”, avança Nelson Costa, do GRACC, para quem “apesar de alguns atrasos horários devidos ao estado do tempo que se fez sentir, tudo decorreu com normalidade”. Para Ana Nadais Martins, “a adesão do público foi fantástica, atraído pelo programa que fez eco na comunicação social que, uma vez mais, divulgou bastante o evento”. As próprias Associações participantes “registaram vendas muitas vezes superiores às expetativas”, muitas delas “esgotando logo cedo os produtos”.

 

Este foi um fim-de-semana para recuar no tempo, partilhar experiências, dançar, cantar e conviver. O programa incluiu um festival de música tradicional, danças e cantares, bombos e gigantones, animação de rua e danças históricas, tasquinhas tradicionais e o mercado rural. Mereceu destaque a mostra de artesanato e o reavivar de ofícios em vias de extinção. Também não faltou um baile popular, onde o público foi convidado a aprender uns passos de dança tradicional, e o muito aplaudido programa “Aqui há fado”: mais de 36 locais receberam no sábado outros tantos concertos de fado. “Os lojistas receberam muito bem esta iniciativa, e o publico compareceu em grande número”.

 

Durante dois dias, “O campo na cidade” atraiu miúdos e graúdos nos passeios de cavalo, pónei e “burrito”, nos jogos tradicionais e na agricultura biológica. Neste espaço, também não faltou um vitelo e uma vaca da raça marinhoa. A Biblioteca Municipal associou-se ao evento com uma peça de teatro sobre contos tradicionais e o Museu Regional e o Arquivo Municipal associaram-se com exposições.

 

O concurso da melhor tenda distinguiu três coletividades em ex-aequo:

– Associação de Pais das Escolas de Macinhata da Seixa

– OTL de Ul

– Sociedade Filarmónica Harmonia Pinheirense.
Vídeos e fotos em FACEBOOK – Mercado à Moda Antiga

Artigo AnteriorPróximo Artigo

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *