Economia

Ondas de investimento levam Cavaco Silva à EXPONOR

O Presidente da República será uma das ilustres presenças na 2.ª edição do FÓRUM DO MAR. Cavaco Silva desloca-se à EXPONOR ao segundo dia da Feira Internacional do Conhecimento e Economia do Mar, esta sexta-feira (11), a partir das 11 horas, onde se inteirará da atual condição científica, empresarial e associativa de uma fileira tida por prioritária para o País.

A visita acontece logo após a sessão de abertura da conferência «Internacionalização das Atividades da Economia do Mar» (no Auditório B4 do Centro de Congressos da EXPONOR, às 9,30 horas), que conta com intervenções do secretário de Estado do Mar, do gestor do COMPETE – Programa Operacional Fatores de Competitividade, dos presidentes da Administração dos Portos do Douro e Leixões, da Câmara Municipal de Matosinhos, da Oceano XXI – Associação para o Conhecimento e Economia do Mar e do vice-presidente da Associação Empresarial de Portugal (ver programas completos e todos os pormenores em www.forumdomar.exponor.pt).

Manuel Pinto de Abreu, Franquelim Alves, Matos Fernandes, Guilherme Pinto, José Ribau Esteves e Paulo Nunes de Almeida acompanharão o chefe de Estado português no contacto com representantes do setor no certame – uma organização conjunta da AEP/EXPONOR e da Oceano XXI, que este ano reúne cerca 75 empresas e entidades expositoras.

Cavaco Silva aproveitará entretanto a visita ao FÓRUM DO MAR para assistir à assinatura de dois protocolos que, envolvendo o INESC TEC, o novo Instituto Português do Mar e Ambiente e o Centro de Investigação Marinha e Ambiental, vêm reforçar a posição de Portugal no desenvolvimento de novas tecnologias em aquacultura e incrementar a capacidade exportadora nacional no domínio da robótica, inteligência artificial e biotecnologia marinha. Ou seja, áreas que têm despertado cada vez mais a atenção de investidores internacionais.

 

INESC cria um salvador e um vigilante…

A participação do INESC Tecnologia e Ciência no acontecimento não se fica por aqui, pois aproveitará o ensejo para, pela primeira vez, apresentar publicamente duas soluções de robótica com um potencial de mercado imenso, interno e externo.

A primeira, desenvolvida no âmbito do projeto ICARUS, é direcionada para a segurança marítima e representa um auxílio importante para equipas de resgate em cenários de crise e naufrágios de navios de passageiros. Trata-se de um robô autónomo de busca e salvamento, capaz de trabalhar em condições adversas e, inclusive, durante a noite. As primeiras unidades deverão estar operacionais em 2013.

Antes disso, o Laboratório Associado do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores do Porto disponibilizará ao mercado um robô vigilante, desenvolvido por um consórcio orçamentado em 1,2 milhões de euros. Os primeiros equipamentos experimentais entrarão em cena provavelmente até ao final deste ano, para deteção de gases, fumos, incêndios e inundações. Dotada de uma capacidade de visão de 360 graus, esta solução “inteligente” permite comunicar através de tele e videoconferência, quer com outros robôs quer com humanos.

«Pretende-se que simplifique as tarefas humanas de vigilância, uma vez que pode ser teleguiado em tempo real através de controlo remoto. É capaz de executar rondas programadas, tem capacidade de visão independente das condições de iluminação e consegue de detetar matrículas. Promete igualmente reduzir os riscos humanos inerentes às tarefas de vigilância, dado que passa a assegurar as tarefas potencialmente mais perigosas, como seguir e cercar intrusos», sublinha o INESC TEC.

Os protótipos serão apresentados durante o workshop “Tecnologias para Apoio à Busca e Salvamento em Ambiente Marítimo”, que, esta quinta-feira (dia 10), entre as 14 e as 18 horas, ocupará o Auditório A6 do Centro de Congressos da EXPONOR.

 

Secretários de Estado sinalizam importância do sector

A troca de conhecimento e experiência durante o FÓRUM DO MAR adivinha-se, aliás, intensa. A jornada receberá o contributo de cerca de 80 especialistas (inter)nacionais.

Durante a manhã do dia inaugural (às 8,30 horas), no Auditório B4, o Observatório Tecnológico para as Energias Offshore (OTEO), em parceria com o Instituto de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial, o Centro de Energia das Ondas (WavEC), a Oceano XXI e a EnergyIN (marca do Pólo de Competitividade e Tecnologia da Energia), dinamizam uma jornada de debate em torno das energias renováveis “offshore” e as soluções a desenvolver em território nacional. Uma sessão em que empreendedorismo e fatores críticos de sucesso são conceitos-chave, ao longo de quase uma trintena de temas e conferencistas, nacionais e estrangeiros.

Igualmente de manhã (às 9 horas), no Auditório A3, o projeto europeu Kimeraa (que recebe contributos científicos da Universidade do Porto e da congénere do Algarve, do lado português) congregará mais de 20 intervenções (cinco painéis) de especialistas e debruça-se sobre os principais resultados gerados após dois anos de colaboração entre seis regiões do Espaço Atlântico, rumo ao incremento da economia marinha comunitária. A reflexão transfere-se para a Sala Henry Tillo, a partir das 14 horas.

Para a tarde de sexta-feira (dia 11), a partir das 12 horas, no Auditório B4, está reservado um intercâmbio de ideias em volta das problemáticas relacionadas com a internacionalização das atividades da economia do mar, sob dinamização da Oceano XXI. A iniciativa, que está inserida no Projeto Inter-Mares e recebe o apoio do programa Compete, distribuir-se-á por três painéis, com o fito de debater os instrumentos e os atores da referida internacionalização (das 12 às 13,30 horas), as boas práticas na economia do mar (das 14,30 às 16 horas) e a macro-estratégia do Atlântico numa perspetiva de cooperação.

O secretário de Estado do Mar, Manuel Pinto de Abreu, estará na tribuna de abertura da conferência, às 9,30 horas, ao passo que o congénere Adjunto da Economia e do Desenvolvimento Regional, António Almeida Henriques, participará na sessão de encerramento, às 17,30 horas.

 

Empresas estrangeiras em busca de negócios na feira

O FÓRUM DO MAR, recorde-se, resulta de um protocolo de colaboração entre a Associação Empresarial de Portugal (AEP), a EXPONOR e a Oceano XXI – Associação para o Conhecimento e Economia do Mar. Esta última agrega cerca de 60 parceiros – entre empresas, associações empresariais, universidades, centos de investigação e desenvolvimento (I&D) e outras organizações de caráter associativo – e abraça áreas como a ciência e tecnologia marinhas, a pesca, a aquacultura e o processamento de pescado, a energia, as atividades portuárias, os transportes, a náutica recreativa, a logística, o ambiente, novos produtos e materiais, a construção e reparação naval, a defesa, a cultura e o turismo.

Para além da Feira Internacional do Conhecimento e Economia do Mar e das Conferências do Mar, o evento, que conta com o Alto Patrocínio da Presidência da República, contempla encontros de negócio com decisores e compradores nacionais e internacionais dos segmentos representados no certame.

Este ano, a Organização agiliza a deslocação de comitivas empresariais representativas de 10 países – Espanha, Alemanha, Reino Unido, Irlanda, Holanda, Dinamarca, Noruega, Polónia, Turquia e Brasil -, em busca de oportunidades de investimento e intercâmbio comercial.

Os empresários de visita ao certame representam várias áreas de interesse, entre as quais se encontram a energia das ondas, a energia eólica, a biotecnologia marinha, a aquacultura, o processamento de pescado, a construção e reparação naval, a engenharia marítima, a investigação e desenvolvimento, a robótica e outras soluções tecnológicas, a administração portuária e a busca e salvamento.

SÍNTESE:

FÓRUM DO MAR

Data: de 10 a 12 de Maio de 2012

Horário: das 10:00 às 20:00, todos os dias

Organização: Associação Empresarial de Portugal / EXPONOR – Feira Internacional do Porto e Oceano XXI – Associação para o Conhecimento e Economia do Mar;

Apoios: o Fórum do Mar conta com o Alto Patrocínio da Presidência da República

Local: EXPONOR – Feira Internacional do Porto (Matosinhos);

Sectores em exposição: construção e reparação navais; transportes e infraestruturas portuárias; pesca, aquicultura, salicultura e transformação do pescado; novos produtos e materiais, tecnologias marítimas e biotecnologia; turismo marítimo e náutica de recreio; serviços marítimos; tecnologias de informação; energia e serviços “offshore”; ambiente.

Perfil do expositor: empresas industriais e de serviços; associações empresariais; organismos públicos; centros de investigação e desenvolvimento e respetivas entidades de intermediação de todos os sectores que se enquadram na economia do mar.

Perfil do visitante: profissionais, nacionais e internacionais, ligados ao conhecimento e à economia do mar; comunidade científica em áreas da economia do mar; instituições com atividade nas áreas do mar; público, em geral.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *