Póvoa de Lanhoso, Sociedade

Conselho Local de Ação Social da Póvoa de Lanhoso analisou questões relacionadas com os seniores

A apresentação do projeto “Ave Social” aos parceiros foi um dos momentos que constituíram a última reunião do Conselho Local de Ação Social (CLAS) da Póvoa de Lanhoso e em que esteve presente o diretor do Centro Distrital de Solidariedade e Segurança Social de Braga, Rui Barreira.

 

Reportando-se às comemorações do Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade Entre Gerações, Rui Barreira desafiou os parceiros a promoverem ações com vista a sensibilizar e alertar para a temática do envelhecimento ativo e do empreendedorismo sénior. O diretor apontou ainda diversos projetos nesta área, tendo também reconhecido o papel do nosso concelho neste trabalho e elogiado a adesão por parte dos jovens.

 

Na referida ocasião, a Vereadora da Ação Social da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso (entidade que preside ao CLAS), Fátima Moreira, divulgou algumas iniciativas que foram pensadas para lançar o alerta no nosso concelho, como sendo o Fórum do Envelhecimento Ativo e as iniciativas “Seniores em Segurança” e “Praça da Saúde”, este mês, envolvendo diversos parceiros da rede local.

 

Atendendo ao elevado número de representantes (cerca de 35), entre eles de 14 IPSS’s, foram também referidas algumas iniciativas de reforço das respostas sociais destinadas ao público sénior que constam do Programa de Emergência Social, bem como o protocolo de cooperação entre Ministério da Solidariedade e da Segurança Social e o Ministério da Administração Interna e o trabalho que se tem desenvolvido ao abrigo do mesmo na identificação e acompanhamento de idosos isolados.

 

Foram ainda abordados outros pontos, como o Programa Contratos Locais de Desenvolvimento Social – Projeto Territórios_In, tendo sido lançado o desafio às entidades locais a participarem na Ação 6 com vista à sua capacitação. Pretendeu-se desta forma sensibilizar as instituições com intervenção social para a necessidade de se adaptarem aos desafios que hoje se lhes colocam, fruto de uma nova realidade social, os quais exigem que estas se tornem mais focadas nas reais necessidades do seu público-alvo, mais participativas, com respostas de maior qualidade e de carácter menos assistencialista, abertas à inovação e com melhores práticas de gestão.

 

Ainda no âmbito desta reunião do CLAS, Fátima Moreira apresentou o projeto supraconcelhio “Ave Social”, com referência aos diversos eixos de intervenção e aos parceiros locais que irão participar em cada um deles.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *