Almada, Cultura

Ópera de Alexandre Delgado estreia em Almada, com Ana Ester Neves na protagonista

Ana Ester Neves é a protagonista da ópera de Alexandre Delgado A rainha louca, cuja ante-estreia ocorreu no Centro Cultural de Belém, no quadro do Festival de Almada 2011, e que sobe agora ao palco do Teatro Municipal de Almada para um conjunto de três récitas.

 

A ópera – uma adaptação de O tempo feminino, de Miguel Rovisco – foi encenada por Joaquim Benite, que anteriormente havia dirigido outra ópera de Alexandre Delgado, O doido e a morte.

 

Sobre esta realização, o crítico Jorge Calado do Expresso escreveu: “A versátil OrchestrUtopica, dirigida pelo compositor, assegurou a elevada qualidade musical da récita. Com intérpretes escolhidas a dedo, a distribuição resultou quase perfeita. Não percebo por que Ana Ester Neves não é uma presença regular no nosso único teatro de ópera. A voz continua belíssima, com um vibrato atraente. (…) A encenação de Joaquim Benite primou pela simplicidade e elegância”. O crítico espanhol Manuel Sesma apontou que “o êxito foi tal que esgotaram as três sessões no Centro Cultural de Belém”. Já Pedro Boléo, no Público, afirmou que se trata de “uma pequena e bem construída ópera ligeira, pessimista mas bem-humorada, despretensiosa mas séria”.

 

O tema da ópera gira em torno da Rainha D. Maria I, filha de D. José, que, reza a história, enlouqueceu nos anos avançados da sua vida. Louca, mas não tonta, perpassam no discurso da Rainha as tristezas e as decepções de um Portugal que entrava no século XIX no meio de uma grave crise europeia, com os exércitos de Napoleão a sitiarem a Corte, que teve de fugir para o Brasil. A Rainha, impotente perante uma realidade que já não controlava, refugia-se na religiosidade e no misticismo, acompanhada por uma jovem Dama de Companhia (uma belíssima interpretação de Maria Luísa de Freitas). Apesar do tema sério da ópera, Alexandre Delgado não recua perante as cenas jocosas (de que são protagonistas Ana Paula Russo e Teresa Cardoso de Menezes), que animam este concerto desconcertante.

 

Esta ópera é produzida pela Rede de Teatros Municipais Acto 5, e depois da estreia TMA será exibida no Theatro Circo, em Braga, a 8 de Maio, e no Cine-Teatro Constantino Nery, em Matosinhos, a 11 de Maio.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FICHA ARTÍSTICA:

Cenário e figurinos: Jean-Guy Lecat

Desenho de luz: José Carlos Nascimento

Colaboração coreográfica: Jean Paul Bucchieri

Caracterização e cabeleiras: Sano de Perpessac

Intérpretes: Soprano Ana Ester Neves | Soprano Ana Paula Russo | Soprano Teresa Cardoso Meneses | Meio-soprano Maria Luísa de Freitas e a actriz Nilma Santos

 

27 e 29 de Abril/ 2 de Maio

Quarta e Sexta 21h30 Domingo 16h00

Sala Principal

Duração 1h15 M/12

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *