Arouca, Turismo

Arouca prepara-se para celebrar a festa da sua Padroeira

Para honrar as suas virtudes, exaltar a sua santidade, agradecer a sua intercessão e pedir pelas suas necessidades, Arouca vai celebrar no próximo dia 2 de maio a festa da sua padroeira, a Rainha Santa Mafalda.

Com a zona histórica de Arouca em significativa remodelação; com o regresso do terreiro de Santa Mafalda às suas origens mais próximas, através da reimplantação do monumental portal que dava acesso a esse importante espaço conventual, situado entre a fachada poente do Mosteiro e a antiga Casa dos padres, Arouca prepara-se para celebrar, uma vez mais, a festa à sua padroeira, a Rainha Santa Mafalda.

Sendo essencialmente uma festa religiosa, cuja organização está a cargo da Real Irmandade da Rainha Santa Mafalda, e da Paróquia de Arouca, o seu programa, está a ser desenhado dentro dos moldes de anos anteriores, sabendo-se já que contará com a presença do Bispo Auxiliar do Porto, D.João Lavrador.

Sendo o dia da festa da Padroeira de Arouca, feriado Municipal, a festa deste ano, além da habitual atuação da centenária Banda Musical de Arouca, terá também uma forte componente cultural, através de um Concerto de órgão, na tarde do Domingo 29 de Abril e de um concerto polifónico na tarde do dia 1 de maio, pelo Grupo Coral “Mille Vocci” que fará a apresentação do seu CD áudio “Rainha Santa”, composto por 11 temas musicais do Cancioneiro de Arouca.

Aliando a tradição religiosa do povo de Arouca à regeneração urbana do seu centro histórico, a festa da Rainha Santa Mafalda, deste ano, será certamente motivo para uma visita a esta terra, agora integrada no Geoparque Arouca e na Grande Área Metropolitana do Porto, sendo detentora de um importante património histórico, paisagístico e geológico, sem esquecer a riqueza da sua irresistível gastronomia, bem como a simpatia e o acolhimento das suas gentes.

Dia 2 de maio, festa da Rainha Santa Mafalda em Arouca: um destino obrigatório para quem ama a cultura de um povo, para quem aprecia a natureza de uma região e para quem sabe valorizar os prazeres da vida que a irresistível gastronomia e a variada doçaria conventual constituem um importante cartão de recomendação para uma irrecusável visita a esta terra que alberga no seu Mosteiro os restos mortais da neta do nosso primeiro rei de Portugal.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *