Lamego, Sociedade

Jovens primeiros beneficiados da geminação Lamego/ Bouchemaine

Os destinos da cidade de Lamego e da municipalidade francesa de Bouchemaine estão, desde o início do mês de abril, unidos através da celebração de um acordo de geminação que promete “promover a relação entre os seus habitantes para que enriqueçam mutuamente a sua cultura e desenvolver projetos conjuntos que permitam compartilhar a sua vida social”. A distância física superior a 1300 quilómetros que separa as duas localidades vai estreitar-se com o desenvolvimento de intercâmbios de ideias, experiências e soluções, dentro de uma perspetiva europeia. Após a assinatura do documento que oficializou este acordo, Francisco Lopes, acompanhado pela sua homóloga gaulesa, Anne-Sophie de Lajartre, sublinhou que as escolas e os jovens dos dois países serão os primeiros beneficiados pela concretização de projetos partilhados.

A aproximação entre os municípios de Lamego e Bouchemaine é justificada pela existência de vários elementos em comum nos seus territórios: estão situados nas margens de um grande rio (Douro e Loire), inserem-se em regiões inscritas na lista do património mundial da UNESCO, possuem uma cultura e prática social e de comunidade forte e, não menos importante, a cultura do vinho domina a sua paisagem natural.

Para o futuro, os autarcas elegem o desenvolvimento de iniciativas nas áreas do turismo, cultura, juventude, educação e desporto como prioritárias. Neste sentido, já no próximo verão, um grupo de 22 jovens franceses, entre os 14 e 16 anos de idade, viajam até Lamego, uma deslocação que terá uma forte componente lúdica e desportiva, mas também de carácter social e cultural. Em simultâneo, a Escola de Hotelaria e Turismo do Douro – Lamego e o Lycée Polyvalent de Saumur, situado no Vale do Loire, decidiram avançar recentemente com uma parceria estratégica que vai fomentar a realização cruzada de estágios e sessões de formação para os seus alunos e a troca de conhecimentos e competências.

No Salão Nobre dos Paços do Concelho, repleto de representantes das principais instituições locais e regionais, Francisco Lopes recordou “o caminho já percorrido” pelos dois municípios no âmbito desta relação bilateral que culminou com a celebração de um acordo formal para construir uma relação duradoira, tendo como pano de fundo a cooperação europeia: “Esta união foi uma iniciativa apresentada por Bouchemaine que a cidade de Lamego acolheu com muita satisfação. Entre várias possibilidades em toda a Europa, a escolha desta cidade francesa para a construção de uma geminação recaiu sobre Lamego e sobre o Douro. Este facto orgulha-nos muito”. Curiosamente, esta geminação será o primeiro acordo a este nível formalizado pelas duas autarquias.

A partir de agora, está previsto que o desenvolvimento de parcerias também seja alargado a instituições sedeadas na região envolvente de Bouchemaine, de modo a abranger, por exemplo, estabelecimentos do ensino superior que garantam o envolvimento da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Lamego. “Queremos abrir as fronteiras das duas comunidades”, revelou Francisco Lopes. Anne-Sophie de Lajartre repetiu por sua vez que “todos os lamecenses serão bem-vindos”.

Nascida junto à confluência dos rios Maine e Loire, Bouchemaine está situada no noroeste de França, próxima do centro histórico de Angers, e é conhecida por oferecer a quem a visita amplos espaços naturais e o charme de uma paisagem rural arborizada. Tem neste momento cerca de 6 mil habitantes. Inserida na região de origem controlada Savennières é também afamada pelos seus vinhos brancos secos. Após 2003, este município foi incluído na área do Vale do Loire classificado como património mundial da UNESCO como “paisagem cultural, viva e evolutiva”, marcada pela cultura da vinha e do vinho e por um extraordinário património arquitetónico.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *