Desporto

Russo surpreendeu portugueses no Alentejo

Filipe Cardoso (Efapel/Glassdrive) venceu este domingo a derradeira etapa da 30 ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola Costa Azul em bicicleta, mas foi o russo Alexey Kunshin, terceiro classificado em Grândola, quem ganhou a prova. Para encontrar o vencedor foi preciso recorrer ao desempate por pontos porque na classificação Kunshin (Lokosphinx) igualou o tempo de Cardoso. Nunca, em trinta anos de “Alentejana”, tinha existido um vencedor com uma vantagem tão pequena.

 

O anterior líder, Samuel Caldeira terminou a competição na terceira posição com apenas um segundo de diferença e apenas se pode queixar do azar porque no sprint final, a 25 metros da meta, foi impedido de discutir a vitória após ser atingido por um adversário que perdeu o equilíbrio. No embate a roda traseira da bicicleta de Caldeira perdeu alguns raios e automaticamente o corredor perdeu a possibilidade de entrar na discussão das bonificações de tempo que lhe dariam a vitória. À partida, em Mértola, o algarvio possuía três segundos sobre o russo que acabou por vencer, restando ao português a camisola verde dos pontos e da regularidade.

 

Nesta quarta e derradeira tirada de 151 quilómetros as bonificações que estavam em jogo nas metas volantes pouco significado tiveram porque nas três contagens entraram sempre corredores que não estavam entre os melhores classificados. Depois de muito tempo sem deixar vingar qualquer tentativa, o pelotão comando pela Efapel/Glassdrive acabou por permitir a fuga de oito homens que não colocavam em perigo uma possível vitória na volta alentejana. A 27 quilómetros do fim, na primeira passagem pela zona de meta em Grândola, a fuga foi alcançada restando algumas escaramuças que terminaram em pelotão compacto na aproximação ao sprint final. Neste último dia de prova o sul-africano Darren Lill (Team Bonitas) confirmou a conquista da camisola azul relativa ao prémio da montanha enquanto o holandês Marc Goos conquistou a camisola laranja da classificação da juventude.

Tradição ainda é o que era

 

Trinta anos depois de ter saído para estrada, pela primeira vez, a “Alentejana” continua a ser um fenómeno desportivo muito curioso e para o já longo historial da competição, o russo de 24 anos, natural de São Petersburgo, Alexey Kunshin ficará como o trigésimo vencedor. Mantém-se a tradição que faz desta prova por etapas a única do mundo velocipédico que nunca conheceu um vencedor repetido. Em 30 edições já completadas conhecerem-se outros tantos triunfadores e merece igualmente registo o facto de ter sido Sérgio Ribeiro o último português a fazê-lo em 2006.

 

A 30 ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola Costa Azul foi uma organização conjunta da Lagos Sports e Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC) com o apoio da Caixa de Crédito Agrícola Costa Azul, CA Seguros, ERT do Alentejo Litoral, RTP, Rádio Renascença, Kia, Delta, Shimano, Copigés, Powerbar, Dietsport, Fonte Viva e Instituto Geográfico do Exército e dos Municípios de Castelo de Vide, Redondo, Portel, Santiago do Cacém, Odemira, Ourique, Mértola e Grândola.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *