Sociedade, Tomar

Tomar recupera pulmão natural e chama cidadãos a fazerem dele o seu jardim

Boa parte da beleza do centro histórico de Tomar deve-se à extensa mancha verde que coroa o casario, encimada pelo Castelo Templário e pelo Convento de Cristo: com 39 hectares, a Mata Nacional dos Sete Montes é um dos pulmões da cidade e caminho natural para o Convento, embora tivesse perdido há muito esta última função.

Historicamente, aquilo que é hoje a Mata dos Sete Montes começou por ser a cerca conventual onde os frades da Ordem de Cristo tinham um espaço de reflexão em comunhão com a natureza, mas também as hortas e pomares que sustentavam a sua comunidade monástica.

No século XX, a Mata chegou a ser sentida como uma extensão natural da cidade, mas a expansão urbana para a outra margem do rio e o abandono a que o Estado, dono do espaço, o foi votando, acabou por afastar os tomarenses desta magnífica área verde.

Agora, a Mata vai ter uma nova oportunidade de conquistar o coração dos tomarenses e dos visitantes.

Para os turistas, pretende-se que funcione como o acesso privilegiado ao conjunto monumental Património da Humanidade, interligando-o de forma natural com o centro histórico, de modo a que as visitas à cidade não se fiquem pelo Convento.

Para os tomarenses, pretende-se que retomem o hábito de frequentar a Mata, como se fosse a continuação do centro histórico – o jardim da nossa casa, onde podemos praticar exercício físico, respirar ar puro e ouvir o canto dos pássaros, descobrir os encantos da natureza, ou, pura e simplesmente, estar sem fazer nada a limpar o corpo e o cérebro do stress quotidiano.

Assim, e celebrando a chegada da primavera, no dia 24 de março acontecerá a iniciativa (Re)Tomar a Mata, um dia aberto para o qual todos estão convidados de forma a conhecerem as novidades: a Casa do Guarda, centro de interpretação, qua será inaugurada nesse dia, às 10 horas da manhã; os novos materiais de divulgação; os percursos pedestres, devidamente assinalados, assim como os elementos arquitectónicos de relevo; e o novo e tentador parque infantil.

Num espaço natural como este, a proposta é mesmo para que cada um leve o seu farnel e se faça um grande piquenique partilhado. As inscrições devem ser feitas até à véspera, dia 23, para centroambiental@cm-tomar.pt ou pelos telefones 249 329 876 / 870.

 

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *