Sardoal, Sociedade

Sardoal, terra de Fé e Tradição prepara Semana Santa

A Paróquia de Santiago e São Mateus, a Santa Casa da Misericórdia, as Irmandades e a Câmara Municipal de Sardoal, já iniciaram os preparativos das Solenidades da Semana Santa e Páscoa 2012, que decorrem na vila, entre 25 de março e 8 de abril.
Das principais celebrações destaca-se a Procissão do Senhor da Misericórdia ou Fogaréus, na Quinta-feira Santa, dia 5 de abril, a Procissão do Enterro, dia 6 e a Procissão da Ressurreição, dia 8.
Mas de que constam tais celebrações?
…Perdem-se nas brumas do tempo e no passado das memórias, as profundas tradições de Fé e Religiosidade das gentes do Concelho de Sardoal, de que ganham especial relevo as sentidas Celebrações da Quaresma, Semana Santa e Páscoa.
Nesta ocasião, a vila ganha uma ambiência especial, sobretudo quando se realiza a Procissão dos Passos do Senhor, de grande simbolismo e imponência, com o Sermão do Encontro, em plena Praça da República. A forte emoção coletiva desta manifestação foi perdurando através dos séculos, apesar dos diversos contextos políticos e socioculturais.
Também a Procissão do Senhor da Misericórdia (ou dos Fogaréus), na noite de Quinta-feira Santa, efetuada à luz de velas e archotes, confere à terra um cenário de grande misticismo. A eletricidade da rede pública é desligada no percurso do Cortejo, e nas janelas das casas, varandas, sacadas e nas escadarias do Convento de Santa Maria da Caridade, são colocadas e acesas mais de seis centenas de lamparinas de azeite e cera, ou lanternas de vidro. Nesta Procissão podem ainda ser apreciados os ricos painéis provavelmente do século XVIII, pertença da Misericórdia, representando Cenas da Paixão.
De Quinta-feira Santa até Domingo de Páscoa, naquilo que se pensa ser uma tradição única e original no país, grupos de moradores, entidades institucionais e associativas elaboram tapetes à base de pétalas de flores e verduras, no chão das capelas da vila (Senhor dos Remédios, Sant’Ana, Santa Catarina, Nossa Senhora do Carmo, S. Sebastião e Espírito Santo) e na Igreja da Misericórdia, com motivos alusivos de rara beleza e devoção. Este ano, cada capela terá uma miniexposição fotográfica, dando a conhecer os arranjos florais dos últimos sete anos.
Estas festividades, assumidas como importante património da personalidade concelhia, representam um sinal indelével da ligação entre gerações do Passado, do Presente e do Futuro.
Um programa complementar de animação será levado a efeito pelo Município.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *