Educação, Lamego

Requalificação da Escola Nº2 de Lamego oferece melhores condições a mais de 220 alunos

     A ampliação e requalificação da Escola Nº2 de Lamego, localizada na Av. Egas Moniz, é a etapa mais recente no processo de reorganização da rede escolar que a Câmara Municipal de Lamego tem em curso com o objetivo de dotar de melhor qualidade o ensino pré-escolar e 1º ciclo do concelho. Mais de 220 alunos, que provisoriamente estão a frequentar as suas aulas na antiga nº1 enquanto decorre o período de obras, vão regressar, a partir do próximo ano letivo, à sua escola de origem, prestes a ser transformada num moderno centro escolar, adaptada às necessidades atuais e apta a responder ao previsível aumento do número de alunos que ali passarão a ter aulas.

     Desde julho último, dezenas de pessoas trabalham diariamente para renovar as antigas salas de aula, as instalações sanitárias, a cozinha e o refeitório. Para além disto, as obras em curso vão acrescentar quatro novas salas, uma delas destinada ao pré-escolar e as restantes ao 1º ciclo. Estão ainda a ser criados espaços próprios para o ensino da música e da informática e para o ensino especial. O projeto da “nova nº2” contempla ainda a requalificação da envolvente exterior que integra a criação de um parque infantil com uma horta pedagógica e a construção de um parque de estacionamento de apoio. A autarquia adjudicou, por concurso público, a realização desta empreitada à firma Floponor – Florestas e Obras Públicas do Norte, S.A., pelo valor de 1.622.289,58€, mais IVA.

     Recorde-se que a modernização deste estabelecimento de ensino, segue-se à entrada em funcionamento de três novos centros escolares no concelho, construídos de raiz nas freguesias de Ferreirim e Penude e na cidade de Lamego, junto à Escola EB 2/3.

     Com a construção de novos centros escolares, uma prioridade absoluta da Câmara Municipal de Lamego, as crianças do concelho vão passar a ter à sua disposição uma escola de melhor qualidade e mais inovadora. Será mais eficaz o combate ao abandono e à exclusão escolar, a implementação do programa Escola a Tempo Inteiro e a oferta de refeições e outros apoios sociais aos alunos. Na opinião de Francisco Lopes, Presidente da autarquia, o reordenamento do sistema educativo local é “uma reforma sem paralelo na História deste concelho. Pese embora os atuais constrangimentos financeiros, considero que o investimento municipal na Educação é absolutamente estratégico para consolidar os níveis de progresso social e económico”.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *