Castro Verde, Sociedade, Tecnologia

Castro Verde volta a projectar com selo DocLisboa

A descoberta de novos territórios e a aposta na grande diversidade e vitalidade do cinema real figuram como os campos de acção do DocLisboa. Em 2011, o documentário volta a preencher mais uma vez a sua função de dar a ver, de pensar os homens, o seu lugar no mundo e no tempo, sob formas cinematográficas variadas transgredindo, por vezes, fronteiras formais ao serviço das histórias contadas. O cinema do real pode não mudar o mundo mas permite entendê-lo melhor e, quem sabe, contribuir para transformar a apatia em força de mudança. Com cerca de 180 filmes em exibição, a IX edição do DocLisboa oferece ao público um lugar de encontro, de partilha, de reflexão, de construção do olhar e de debate. Dando continuidade à parceria estabelecida com a APORDOC – Associação pelo Documentário, Castro Verde volta a projectar com o selo DocLisboa, exibindo registos filmados em português, uma das apostas desta mostra.

 

 

DOCLISBOA 2011

IX Festival Internacional de Cinema Documental

 

4 JAN FÓRUM MUNICIPAL – 21H30

ORQUESTRA GERAÇÃO

Filipa Reis, João Miller Guerra || PORTUGAL

LONGA-METRAGEM

Retrato do impacto da iniciativa homónima, inspirada no projecto internacional Orquestra Simón Bolívar, em jovens da escola Miguel Torga, na Amadora. Ana, Daniel, Diogo, Marco e Mónica entregam-se a um projecto que rompe o contexto formatado da escola pública. Descobrimos os seus sonhos, a relação com a música e o sentimento de pertença a um grupo.

 

11 JAN FÓRUM MUNICIPAL – 21H30

TIO RUI

Mário Macedo || Portugal

CURTA-METRAGEM

O tio Rui tem de voltar. Depois de 72 horas em liberdade, o filme acompanha-o nos últimos momentos antes do seu regresso. Uma visão pessoal do realizador sobre o seu tio, toda a família que o rodeia e o tempo.

 

11 JAN

A MÁQUINA

MIGUEL GUIMARÃES CORREIA, DANIEL P. SOUSA || PORTUGAL

CURTA-METRAGEM

O estádio de futebol enquanto máquina viva alimentada pelo trabalho de várias pessoas e, que juntas, contribuem para a sua manutenção. É um trabalho feito de pormenores e detalhes, pequenos gestos de bastidores, carregados de devoção, fundamentais no desenvolvimento de um grande espectáculo, como é um jogo de futebol.

 

18 JAN FÓRUM MUNICIPAL – 21H30

KOLÁ SAN JON É FESTA DI KAU BERDI

RUI SIMÕES || PORTUGAL, CABO VERDE

LONGA-METRAGEM

Este filme acompanha um grupo de residentes do bairro da Cova da Moura numa viagem a Cabo Verde para celebrar as festas de São João. Ao recuperar os ritos e ritmos desta festividade, os cabo-verdianos residentes naquele bairro próximo da capital portuguesa procuram recuperar as suas raízes e transmiti-las aos seus descendentes.

 

 

25 JAN FÓRUM MUNICIPAL – 21H30

MINAS DA BORRALHA

FÁBIO OLIVEIRA, LUÍS BRANDÃO, TERESA PINTO, TIAGO AFONSO || PORTUGAL

CURTA-METRAGEM

Testemunhos em torno da vida árdua de uma indústria mineira entretanto desaparecida e em ruínas. As injustiças sociais, as violências laborais, os acidentes de trabalho mas também o quotidiano de então, numa comunidade mineira do interior norte de Portugal, um mundo onde a extrema pobreza e a precariedade marcaram uma forte presença.

 

25 JAN FÓRUM MUNICIPAL – 21H30

GOLDEN DAWN

SALOMÉ LAMAS || PORTUGAL, HOLANDA

CURTA-METRAGEM

Rodado no Mar do Norte, Golden Dawn retrata a vida de pescadores holandeses. Ir para o mar é um fandango que a humanidade dança desde os primórdios, em lugares remotos. O objectivo deste filme é mostrar visualmente a rotina de um dos trabalhos mais árduos que há, ao mesmo tempo que o transforma numa viagem visual poética.

 

Org: CMCV Parceria: APORDOC


Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *