Baião, Sociedade

Design e tradição conjugados criam novos produtos com origem em Baião

O presidente da Câmara Municipal de Baião, José Luís Carneiro, deu a conhecer ao Ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, a bengala evocativa do centenário da República, da autoria do estilista Carlos Gil e dos artesãos baionenses Manuel Almeida Gomes e Eduardo Cardoso.
José Luís Carneiro e a vereadora da Qualificação Profissional da Câmara de Baião, Ivone Abreu, representaram o município na cerimónia de apresentação do Plano de Acção de Empregabilidade, organizada em Felgueiras, pela Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM-TS). Este plano de acção enquadra-se numa estratégia mais vasta, designada por Agenda Regional para a Empregabilidade, que une entidades públicas e privadas dos 12 concelhos do Tâmega e Sousa no objectivo de atingir níveis de empregabilidade idênticos aos das regiões mais desenvolvidas do país até 2015.

Na iniciativa em Felgueiras, José Luís Carneiro partilhou com Álvaro Santos Pereira as importantes tradições e potencialidades do concelho de Baião na área do artesanato e referiu a importância da “inovação e da criatividade como formas de valorização dos produtos tradicionais e de lhes trazer valor acrescentado”. Neste sentido, surgiu a ideia de convidar Carlos Gil – estilista natural da Beira Baixa, popularizado por ser o preferido da Primeira-Dama Maria Cavaco Silva – para colaborar com artesãos de Baião, na criação de um modelo de bengala. O autarca baionense referiu ainda a importância do “investimento público e das políticas de incentivo à produção local” para a integração e coesão social e territorial.

No evento realizado numa unidade industrial na freguesia de Pombeiro de Ribavizela, estiveram ainda expostos outros produtos de Baião pertencentes às fileiras das Agro-Indústrias; Design e Moda; e finalmente do Turismo.

O ministro da Economia elogiou a iniciativa dos municípios do Tâmega e Sousa por terem sido capazes de, apesar de representarem cores políticas diferentes, “se uniram para apostar num factor que é muito importante para o país, como a empregabilidade, numa altura em que as taxas de desemprego são muito elevadas”. “É muito importante unirmos as nossas forças, sermos criativos, apostarmos no empreendedorismo para conseguirmos aumentar o emprego”, afirmou Álvaro Santos Pereira.

O presidente da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa, Alberto Santos, disse por seu lado que “já é tempo de o Governo se consciencializar dos problemas e potencialidades da região”, apoiando as medidas incluídas na agenda para a empregabilidade deste território. Alberto Santos apelava sobretudo à abertura da tutela para que aprove as acções de formação profissional em áreas que a região considera serem estruturais para o futuro da sua economia e para melhorar a sua competitividade.

A Agenda para a Empregabilidade do Tâmega e Sousa prevê a criação de novos cursos em áreas estratégicas para a região, medidas de apoio aos jovens para criação do próprio emprego, certificação de profissionais, formação de empresários, adopção de marcas de comércio, feiras de emprego, apoio à internacionalização e combate ao insucesso escolar.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *