Cultura, Torres Vedras

Exposições de artistas espanhóis vão ser inauguradas na Paços – Galeria Municipal de Torres Vedras

No próximo dia 1 de Dezembro, pelas 17h, são inauguradas na Paços – Galeria Municipal de Torres Vedras, duas exposições: Urdidura e Silêncio de Javier Léon e O Branco do Papel de Fernando Daza.

Esta primeira mostra, de pintura, que estará patente na sala 1 da referida galeria, é um projecto expositivo que apresenta, segundo o autor, “a ideia de realidade subjectiva relacionada com a experiência e a percepção. Segundo os empiristas a realidade é aquilo que se pode experimentar e perceber, e a física quântica fala-nos sobre a experimentação da realidade como a eleição de uma possibilidade entre um infinito de possibilidades. A experiência e a percepção do indivíduo estão estreitamente vinculadas à atitude pessoal ou à forma de posicionar-se frente ao objecto experimentado, são factores que de alguma maneira influenciam no modo de percebê-lo e em consequência modelam e modificam a realidade do dito objecto. (…) A palavra urdidura está relacionada com o tecido, trata-se da parte estrutural composta por fios ordenados de forma paralela na vertical que servem como base para a elaboração das telas. A composição da maioria dos quadros que apresento neste projecto, fazem referência ao género da paisagem da cultura oriental, já que de alguma forma pretendo criar uma paisagem mental, um exercício de ordenação e entrelaçado desses fios da experiência provenientes do próprio acto criativo de pintar. O silêncio é um conceito de pura abstracção. Muitos teóricos afirmam que o silêncio não existe. Onde está o silêncio? (…) A vivência experimentada pelo espectador em frente à obra tem para mim o mesmo valor que a experiência vital que gerou esse objecto/obra”.

Já a exposição de Fernando Daza, que estará patente na sala Dois Paços da Paços – Galeria Municipal de Torres Vedras, é um projecto que apresenta a criação de uma obra plástica monocroma como resposta a uma necessidade de abandono da cor e da matéria pictórica. Trata-se de uma colecção de quadros de diferentes formatos, realizados com diferentes tipos de papéis nobres, nos seus tons cálidos e originais, que previamente se trataram com óleos vegetais. As obras apresentam um carácter híbrido entre o bidimensional e o tridimensional. Um dos objectivos fundamentais nesta exposição é favorecer a transformação cromática da obra por si mesma ao longo do tempo, devido ao processo natural de oxidação do papel mediante o seu tratamento com óleos. Desta forma os tons brancos e cremes originais dos papéis utilizados tornar-se-ão âmbar ou cor de mel com o decurso do tempo. O papel é pois usado de forma singular, como elemento material fundamental no processo criativo e não apenas como suporte tal como se emprega tradicionalmente na gravura, desenho ou fotografia. Por outro lado, investiga-se as possibilidades de mutação física do papel sujeito às substâncias oxidantes dos óleos reactivas à exposição da luz e à passagem do tempo, alterando-se como consequência os tons brancos originais. Assim dota-se a obra de arte de uma singular capacidade de transformação própria, considerando-se esta como parte autónoma, activa e decisiva no processo criativo. Isto provoca de certo modo, uma evasão da responsabilidade de finalização da obra por parte do artista. Neste sentido abre-se o debate sobre a capacidade de auto execução indefinida da obra uma vez concluída a intervenção do artista.

Ambas as exposições estarão patentes até 28 de Janeiro.

Biografia de Javier León

Nasceu em Sevilha em 1977. Mestrado de Arte Criação e Investigação (2009 – 2011). MAC+I na Faculdade de Belas Artes da Universidade Complutense, Madrid (2007). Licenciatura em Pintura pela Faculdade de Belas Artes Santa Isabel de Hungria da Universidade de Sevilha, Espanha (2001). Graduação em Artes Aplicadas à Gráfica Publicitária. Conta com um extenso currículo de exposições individuais e colectivas em diversos países.

Prémios, Bolsas e Menções

2011. Selecção, 72 EXPOSICIÓN INTERNACIONAL DE ARTES PLÁSTICAS, Sala Conselhia de Cultura e Turismo da Câmara de Valdepeñas, Ciudad Real. Selecção, Prémio BANCAJA de Pintura, Valência. Prémio Aquisição, UNIA, Premio de Pintura, Universidade Nacional da Andalucia, Huelva. 2010. Selecção PREMIO JOVEN 10 Artes Plásticas, Fundação General UCM, Madrid. 2009. Bolseiro pela Fundação Caja Madrid para a assistência do seminário “Las fuentes del arte contemporâneo através del Museo del Prado”. 2007. Menção de honra, Salão de Outono da Real Academia de Belas Artes Santa Isabel de Hungria, Sevilla. 2006. Finalista, Prémio de Pintura Gustavo Vacarisas, Distrito Casco Antiguo, Câmara de Sevilha. 2003. Prémio Desenho de Identidade Corporativa, Colégio Oficial de Decoradores e Desenhadores de Sevilha, CODDA. 2002. Aquisição, Mostra ao ar livre Ciudad de Dos Hermanas, Sevilha. Finalista, Salão de Outono da Real Academia de Belas Artes Santa Isabel de Hungria, Sevilha. 2001. II Prémio, III Certame Nacional Fernando Quiñones, Cádis.
Biografia de Fernando Daza

Nasceu em Sevilha em 1979. Licenciado em Belas Artes pela Faculdade de Belas Artes de Santa Isabel da Hungria da Universidade de Sevilha, Espanha (1998 – 2003). Cursos de Docência do programa de doutoramento de Pintura e Conservação e Restauro, Faculdade de Belas Artes de Sevilha, Espanha (2003 – 2004). Curso de gravura sob a supervisão do professor Vasilis Kazakos, Faculdade de Belas Artes da Universidade de Atenas, Grécia. 2003. Assistente Honorário Colaborador no curso Iniciação à cor, do primeiro curso da Licenciatura de Belas Artes, Faculdade de Belas Artes de Sevilha (2003- 2004, 2004 – 2005, 2005 – 2006, 2006 – 2007 e 2007 – 2008). Membro do grupo de investigação GIACEC (Grupo Interdisciplinar em Artes Colectivas e Espaços Culturais) afecto ao Departamento de Pintura da Faculdade de Belas Artes de Sevilha e dirigido pela professora Inmaculada Rodríguez Cunill. Conta com um extenso currículo de exposições individuais e colectivas em diversos países.

Prémios, Bolsas e Menções

2009. 1.º Prémio de pintura “X Certamen Nacional de Artes Plásticas Fernando Quinones”, Delegação de Cultura, Câmara de Cádis. Prémio aquisição de obra “MMXIX Certâmen Andaluz de Artes Plásticas DESENCAJA 09”, Instituto Andaluz da Jeventude – Conselho para a Igualdade e Bem-Estar Social da Junta da Andaluzia, Universidade de Málaga. 1º Prémio de pintura XII Certame de criação “Fronteras de Papel”, Delegação da Juventude e Desportos, Câmara de Sevilha. 2006. Prémio/Bolsa Projecto Becarte, Instituto Andaluz da Juventude – Conselho para a Igualdade e Bem-estar Social da Junta da Andaluzia, Universidade de Málaga. 2005. Terceiro prémio III Certame INTERCAMPUS Investigação e Docência na Rede, Mobilidade C – Aprendizaje en la Red. Portal CampusRed da Fundação Telefónica, Temática Colorido On Line, dirigido pela professora Inmaculada Rodrigues Cunill e seleccionado entre 352 projectos de universidades espanholas e da América latina.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *