Cultura, Montijo

Câmara do Montijo homenageia Manuel Giraldes da Silva e Marcelino Vespeira

A Câmara Municipal do Montijo presta homenagem a Manuel Giraldes da Silva e ao pintor Marcelino Vespeira com a realização de duas exposições, por ocasião do aniversário das suas mortes.

  Assim, na Biblioteca Municipal Manuel Giraldes da Silva, no dia 26 de Novembro, às 16h00, será inaugurada a exposição de fotografia “Instantâneos” de João Barroso, neto de Manuel Giraldes da Silva, patrono da Biblioteca Municipal, falecido em 27 de novembro de 1974.

  Apesar da distância temporal, João Barroso partilhava com o seu avô  a paixão pela fotografia e, por isso, serão também mostrados ao público alguns dos trabalhos de Manuel Giraldes da Silva que, em 1954, foi premiado no 1.º Salão Fotográfico das Festas Populares de S. Pedro.

  A mostra “Instantâneos” poderá ser visitada até 21 de janeiro de 2012, de terça a sexta-feira das 10h00 às 19h00, segunda-feira e sábado das 14h00-19h00.

    Por sua vez, na Galeria Municipal do Montijo será inaugurada, no mesmo dia, às 17h00, a exposição “Marcelino Vespeira 1925-2002: 10 anos de conversas ausentes”, que reúne a coleção gráfica, doada em vida pelo autor ao Município do Montijo.

  Numa altura em que se assinalam os dez anos da morte do pintor Marcelino Vespeira, a Galeria Municipal do Montijo oferece ao público uma exposição de um dos grandes pintores portugueses contemporâneos que se notabilizou pela versatilidade. Passou por diversas correntes estéticas, entre elas o neorrealismo, o surrealismo e o abstracionismo geométrico, tendo-se destacado em todas elas.

  Marcelino Vespeira nasceu em 1925, no Samouco (Alcochete) e faleceu a 22 de Fevereiro de 2002. Fez o curso da Escola de Artes Decorativas António Arroio e frequentou a Escola de Belas Artes de Lisboa. Integrou a corrente neorrealista da Arte Portuguesa, tendo-se tornado conhecido pela sua participação na 1.ª Exposição Geral de Artes Plásticas, SNBA, Lisboa (1946).

  Em 1948 rompe com esta corrente artística e adere ao surrealismo, tendo participado na primeira exposição do Grupo Surrealista de Lisboa (1949). Na década de 50, passou pelo abstracionismo geométrico, tendo participado no 1.º Salão de Arte Abstrata. Em 1957 recebeu o Prémio “Columbano”, e em 2000, o Prémio Nacional de Artes Plásticas atribuído pela Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA).

  Pode visitar a exposição “Marcelino Vespeira: 1925-2002: 10 anos de conversas ausentes” até ao dia 16 de Março de 2012, de segunda a sexta feira, das 9h30 às 12h30 e das 14h00 às 17h30.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *