Educação, Estarreja

1 Centena de crianças plantam Azevinhos na Comemoraçã​o do Dia da Floresta Autóctone em Estarreja

No âmbito da comemoração do Dia da Floresta Autóctone, a Câmara Municipal de Estarreja dinamiza o projecto “O Ouriço”, com a presença de mais de uma centena de alunos do pré-escolar, 1º ciclo e Cerciesta  promovendo a plantação de Azevinhos, na Quinta do Marinheiro. 

Todos os participantes contribuem assim, através de uma acção prática e pedagógica, para a requalificação paisagística da Quinta, dotando-a de elementos naturais e autóctones que a tornarão mais atractiva, ficando também co-responsáveis pela sua preservação, no belo espaço que enquadra a Casa Museu Egas Moniz. 

Do conjunto diversificado das actividades, que se iniciam às 9h30, destaca-se ainda a distribuição de um marcador de livros, que apresenta o “cartão de cidadão” do azevinho, com várias informações sobre a espécie, realização de jogos com a Autoridade Florestal Nacional e actividades de expressão artística denominadas “Sons de Outono”, pela Biblioteca Municipal. A manhã finalizará com a distribuição de castanhas assadas, o fruto de uma espécie autóctone. O objectivo desta actividade é sensibilizar as crianças para o conceito de Floresta Autóctone e a necessidade da sua preservação. O inconfundível e ternurento ouriço-cacheiro, uma espécie protegida, foi escolhido para mascote desta acção.

Este é o maior insectívoro da nossa fauna e caracteriza-se pelos espinhos abrasivos que lhe cobrem todo o corpo. A primeira edição do projecto, em 2009, explorou o castanheiro e a comemoração do Dia da Floresta Autóctone realiza-se no mesmo mês em que se festeja o São Martinho.  

O que é a Floresta Autóctone?

É uma área de árvores originárias do próprio território onde habitam. Estas espécies estão mais adaptadas às condições de clima e solo do nosso território e, como tal, são mais resistentes às doenças, pragas e condições adversas como chuvas intensas, secas e fogos, comparativamente com as espécies exóticas como as acácias ou o eucalipto, originário da Austrália. Em Portugal temos espécies autóctones como por exemplo o Medronheiro, o Zambujeiro (ou oliveira brava), os Carvalhos, a Azinheira, o Pinheiro-manso, o Amieiro, o Freixo, o Castanheiro, o Azevinho ou os Salgueiros. 

O Dia da Floresta Autóctone foi estabelecido para divulgar a importância ambiental e económica da conservação das florestas naturais e a necessidade de as salvaguardar da destruição.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *