Almada, Cultura

TMA e Embaixada da Áustria comemoram 80 anos do nascimento de Thomas Bernhard – Almada

O Teatro Municipal de Almada e a Embaixada da Áustria assinalam os 80 anos do nascimento de Thomas Bernhard com um evento que contará com um colóquio internacional sobre a vida do dramaturgo austríaco, as suas obras e a sua relação com Portugal, assim como leituras encenadas de algumas das suas peças representadas em Portugal. O evento decorre no TMA, no dia 12 de Novembro, a partir das 18h00.

Autor de 19 novelas, 17 peças de teatro e vários textos autobiográficos, Thomas Bernhard caracterizou a Aústria com um estilo irónico e mordaz, que lhe valeu uma relação de amor/ódio com o seu próprio país. Esta mesma relação será abordada por Alfred Pfabigan, professor da Universidade de Viena, na sua participação no colóquio. Já José António Palma Caetano, tradutor das obras do dramaturgo austríaco para português, falará sobre a relação de Thomas Bernhard com Portugal, país onde o autor passou algum tempo devido a problemas de saúde e que foi várias vezes referido nas suas peças. Peter Hanenberg, professor associado da Universidade Católica Portuguesa, falará sobre a importância do autor austríaco no teatro de língua alemã e na germanística.

Às 21h30 serão realizadas leituras encenadas de várias peças de Thomas Bernhard. Mónica Calle, directora da Casa Conveniente, apresenta Minetti, retrato do artista quando velho. Luís Vicente, director da ACTA – A Companhia de Teatro do Algarve, irá interpretar um excerto da peça O presidente. Será também exibida uma projecção em vídeo de O fazedor de teatro, com Morais e Castro e encenação de Joaquim Benite, uma produção da Companhia de Teatro de Almada estreada em 2004.

Thomas Bernhard nasceu em 1931 na Holanda, como filho ilegítimo de Herta Fabjan e de um carpinteiro. Passou a adolescência em casa dos avós maternos, na Áustria, primeiro em Viena e depois em Salzburgo. O seu avô, o escritor Johannes Freumbichler, esforçou-se por que o jovem Bernhard tivesse uma educação sólida, que incluiu o estudo de música. Em 1947 Bernhard abandonou a escola para se empregar numa mercearia. Entre 1955-57 estudou representação no Mozarteum de Salzburgo. Servindo-se em grande parte desta experiência, lançou-se como escritor, em 1957, com a publicação do seu primeiro livro de poesia, Na Terra e no Inferno, ao qual se seguiram outras colectâneas de poemas. O autor aventurou-se também na escrita em prosa e no género dramático, sendo o seu primeiro romance, Frost, publicado em 1963, e a sua primeira peça, Uma festa para Boris, estreada em 1970. Bernhard morreu em 1989, na sua quinta de Ohlsdorf, e a sua morte só foi anunciada após o funeral. No testamento deixou expressa a proibição da representação das suas peças em solo austríaco.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *