Cultura, Reguengos de Monsaraz

Recriação histórica da conquista do castelo de Monsaraz por D. Nuno Álvares Pereira – Reguengos de Monsaraz

A conquista do castelo de Monsaraz por D. Nuno Álvares Pereira, em 1384, vai ser recriada no sábado, dia 5 de Novembro, a partir das 17h, pela Companhia de Teatro Viv´arte. Esta recriação histórica vai decorrer na Praça de Armas do castelo da vila medieval de Monsaraz e centra-se na lenda que atribui ao Santo Condestável um interessante estratagema para tomar a fortaleza.

Nuno Álvares Pereira terá atraído os defensores da praça-forte ao seu exterior com o objectivo de capturar umas vacas que o futuro condestável havia soltado estrategicamente nas proximidades da vila. Os homens do alcaide Gonçalo Rodrigues de Sousa, que tinha o castelo por D. Beatriz, sem que imaginassem o que se iria seguir, tentam capturar as rezes.

Nesse momento, os homens de Nuno Álvares, que haviam permanecido escondidos, entram no perímetro amuralhado da povoação e encerram de imediato as portas impedindo o regresso dos cavaleiros inimigos. Progridem, então, rapidamente em direcção ao castelo que tomam facilmente.

Esta recriação histórica produzida pela Companhia de Teatro Viv´arte com a colaboração do Município de Reguengos de Monsaraz e da Junta de Freguesia de Monsaraz pretende mostrar a contenda que decorreu no interior do castelo de Monsaraz. Os participantes nesta encenação teatral vão estar vestidos com os trajes da época e a batalha será disputada a pé e a cavalo.

D. Nuno Álvares Pereira, ao tomar o Castelo graças ao ardil das vacas desgarradas, desafia os vassalos de D. Beatriz a terçarem armas na liça do castelo com os defensores da causa do Mestre. Apelando ao juízo de Deus, em singular Ordália de Armas.

Nota: Informação histórica extraída do livro Estoria de Dom Nuno Alvrez Pereyra, op. cit., cap. XXXII, pp. 75-77 e Fernão Lopes, Crónica de D. João I, Vol. I, op. cit., cap. CXLIII, p. 292.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *