Cultura, Sardoal, Sociedade

Feira de S. Simão (ou da Fossa) traz a tradição ao Sardoal

Há cerca de 50 ou 60 anos atrás na Feira de S. Simão havia sempre uma clientela muito especial, porque o dia 28 de Outubro, era o escolhido para a chegada dos “Capuchos”, grupos de homens e mulheres, que de alguns concelhos da Beira-Baixa (Proença-a-Nova, Sertã e Oleiros), para aqui se deslocavam para a apanha da azeitona. Mas esta Feira é rica em tradições e antiguidades.

Por isso, o bom sabor das castanhas, das nozes, das amêndoas e dos figos secos, entre outras delícias, voltam a ser atracção na Feira de S. Simão, ou Feira da Fossa, que se realiza na Vila do Sardoal, na Sexta-feira, dia 28 de Outubro.

Esta Feira, que decorre na Avenida Luís de Camões, Praça da República e artérias adjacentes, é antiquíssima e a sua origem perde-se nos tempos. Havendo referências de que já se realizava em 1750, foi até meados dos anos 70, uma das feiras mais importantes do norte do Ribatejo.

Caracterizada pelas transacções de cereais e de frutos secos, próprios deste período sazonal, a Feira de S. Simão é sempre uma festa, aliando a vertente de mercado, a um âmbito mais vasto de convívio e animação.

Referenciada por prestigiados historiadores locais, a Feira de S. Simão, ou da Fossa (embora esta última designação popular não seja consensual entre os especialistas), era a grande oportunidade da população concelhia, e não só, para adquirir roupa e calçado para o Inverno que se aproximava, para o que se contava com algumas poupanças da ceifa e com o produto da venda de algumas aves, que as aldeãs, manhã cedo, vinham fazer, transportando-as em cestos à cabeça.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *